Braga,

Agroalimentar já tem centro para investigação e formação

Regional

11 Setembro 2020

Redação

Tecmeat é o novo centro de competências do Agroalimentar que já está instalado em Famalicão e que promete agregar o sector das carnes procurando soluções através da investigação e da formação.

Com o laboratório de microbiologia concluído e equipado e a unidade piloto a entrar em obras ainda este mês está pronto a iniciar alguma actividade o Centro de Competências do Agroalimentar - Tecmeat, sediado em Vila Nova de Famalicão.


O novo centro tecnológico vocacionado para o sector das carnes foi ontem apresentado nas instalações que já ocupa no CIIES - Centro de Investigação, Inovação e Ensino Superior de Vila Nova de Famalicão, instalado nas antigas instalações da Didáxis de Vale São Cosme.


Impulsionado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, o “Tecmeat” agrega um conjunto de entidades e tem como principal objectivo estabelecer uma rede de parceiros que congreguem competências técnicas e científicas no desenvolvimento e promoção da indústria das carnes.
 

Ontem, no final da apresentação, o presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, admitiu que “foi um processo longo, difícil e exigente”, mas manifestou a satisfação pela criação de mais este centro tecnológico que não é de Famalicão, mas é de âmbito nacional.
 

O edil famalicense realçou a dimensão colaborativa que “foi essencial” para conseguir realizar este projecto e agradeceu a confiança de todas as entidades que nele se envolveram desde o início.
 

Paulo Cunha acredita que o “Tecmeat” vai capacitar o sector das carnes de ferramentas que “são absolutamente decisivas para o seu futuro”.


“Há novas gerações neste sector e queremos que elas acumulem o conhecimento herdado de três /quatro gerações com esta dimensão de inovação e tecnologia” apontou o presidente da Cãmara, sublinhando a importância de fazer a “intersecção entre o conhecimento das universidades/institutos e as empresas”.
 

Além da dimensao colaborativa, o “Tecmeat” destaca-se por se instalar num espaço que já existia e onde, durante anos, funcionou uma escola, realçou Paulo Cunha, dando conta da aposta “numa unidade mais eficaz e que custasse muito menos ao país”.


O presidente do Conselho de Administração do “Tecmeat”, Amândio Santos, defende que “este centro vai, acima de tudo, agregar o sector” e “vai ser capaz de acrescentar valor colocando as empresas a trabalhar em redee a tirar partido da transversalidade do conhecimento que este centro vai produzir”.


Amândio Santos admite que o sector das carnes conjuga dois problemas: falta de mão-de-obra qualificada e falta de mão-de-obra disponível.


A definição de um plano de formação para a indústria das carnes, com uma forte proximidade às empresas, é uma das missões do “Tecmeat” aponta o director-executivo, Paulo Cadeia.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho