Braga, sexta-feira

Amarense diz que vai recorrer até às últimas consequências de decisão da FPF

Desporto

22 Junho 2021

Lusa

A Associação Recreativa Amarense anunciou hoje que vai recorrer até às últimas instâncias da decisão da Federação Portuguesa de Futebol de recusar a inscrição na Liga de futsal por alegada falha no processo de licenciamento.

“Vamos recorrer até às últimas instâncias para que o nosso mérito desportivo seja reconhecido”, pode ler-se no comunicado emitido pela Associação Recreativa Amarense, cuja equipa de futsal é vice-campeã da II Divisão da modalidade e que tinha subido esta época ao escalão principal.
 

No mesmo texto, o clube alerta para a época atípica que se viveu por causa da pandemia de coronavírus, “com a falta de público nos jogos e a diminuição repentina das receitas”, além da incerteza que prevaleceu ao longo do campeonato, “com alterações das regras e formatos a meio, paragens e avanços”, e o facto de “não se saber se a época teria o seu término normal, tanto por parte da FPF como para os clubes”.
 

Neste contexto, a Amarense considera fundamental que as entidades competentes sejam “flexíveis e justas” e que os clubes, que enfrentaram grandes dificuldades esta época, “possam fazer prova das condições que possuem, para bem do desporto e do futsal português”.
 

“Neste momento o mérito desportivo está a ser preterido em prol do mérito financeiro ou burocrático”, realça o clube, ressalvando que foi reconhecida durante esta época, pela própria FPF, como entidade formadora 3 estrelas.
 

Este reconhecimento por parte da Federação é, para o emblema, uma prova inequívoca do seu trabalho e da sua organização, ao mesmo tempo que enfatiza o facto de estar devidamente licenciada e em plenas condições legais para a prática desportiva nas suas instalações, que foram recentemente melhoradas com o apoio Municipal e da própria FPF.
 

“É por isto que nos sentimos legitimados a ir até às últimas instâncias para que o nosso mérito desportivo seja reconhecido e premiado de acordo com as regras desportivas”, remata o comunicado.
 

Esta reação da Associação Recreativa Amarense surge na sequência da decisão da FPF de substituir a sua equipa e a do Ladoeiro, que asseguraram no fim de semana à Liga principal, pelo Torreense e pelo Grupo Nun’Alvares no principal escalão nacional da modalidade, por “falharam o processo de licenciamento”.
 

Em comunicado, a FPF deu conta da avaliação dos processos de licenciamento para as primeiras divisões de futsal e futebol feminino, assim como para a Liga 3 e para a Liga Revelação.
 

O Ladoeiro, do concelho de Idanha-a-Nova, que no domingo se sagrou campeão nacional da II Divisão de futsal, falhou o cumprimento dos requisitos para participar na Liga de futsal, assim como o finalista vencido, o Amarense, da Batalha.
 

Desta forma, as duas vagas vão ser ocupadas pelo Grupo Nun’Alvares, de Fafe, que foi eliminado pelo Ladoeiro, nas meias-finais da prova de acesso à competição, que vai ser disputada por 14 clubes e reduzida para 12 em 2022/23, e pelo Torreense, que foi afastado, nos quartos de final, pelo emblema fafense.

Deixa o teu comentário