Amares quer Peregrinação de Nossa Senhora da Abadia como de interesse municipal

Regional

13 Janeiro 2021

Redação

A câmara de Amares quer que a Peregrinação de Nossa Senhora da Abadia seja reconhecida como evento cultural imaterial de relevância municipal, salientando os 45 anos de existência daquela romaria, anunciou hoje a autarquia.

A câmara de Amares quer que a Peregrinação de Nossa Senhora da Abadia seja reconhecida como evento cultural imaterial de relevância municipal, salientando os 45 anos de existência daquela romaria, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, aquela autarquia do distrito de Braga explica que a proposta vai ser apresentada à Assembleia Municipal, depois de aprovada em sede de executivo.

Segundo o texto, o "Mosteiro de Nª Sª da Abadia, considerado o mais antigo Santuário Mariano da Península Ibérica, é hoje centro de uma das mais simbólicas peregrinações do concelho de Amares e do Minho".

A peregrinação àquele mosteiro é feita anualmente no último domingo do mês de maio, partindo da Igreja/ Mosteiro de Santa Maria de Bouro e sobe a encosta da Abadia até ao Santuário, num percurso de cerca de quatro quilómetros.

A procissão é realizada pelo arciprestado de Amares e é uma "representação de fé" que envolve as 25 freguesias do concelho, que transportam por etapas o andor da Senhora da Abadia durante o percurso.

"Este é um evento público concelhio muito específico, com cerca de 45 anos, que ultrapassa mesmo as marcas da religiosidade e se torna uma marca importante do concelho de Amares", refere no texto o vereador da Cultura de Amares Isidro Araújo.

O responsável refere que a peregrinação tem uma "carga cultural" representando um ato de "entrega e partilha de um povo e de um concelho que ali se une imbuído do seu espírito de fé".

"É também de mostra do espírito de comunidade", finaliza.

Deixa o teu comentário