Braga, sexta-feira

Assembleia da República indica 50 deputados para o processo de vacinação

Nacional

30 Janeiro 2021

Redação

O parlamento indicou 50 deputados para o processo de vacinação contra a covid-19, comunicou o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, numa carta enviada ao primeiro-ministro, António Costa.

O parlamento indicou 50 deputados para o processo de vacinação contra a covid-19, comunicou o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, numa carta enviada ao primeiro-ministro, António Costa.

Fonte parlamentar disse à agência Lusa que entre os 50 deputados, num total de 230, estão o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, deputados do PS, PSD, PCP, PEV e uma das duas deputadas não inscritas.

Neste grupo de 50 deputados, de acordo com a mesma fonte, está pelo menos um dos quatro vice-presidentes da Assembleia da República António Filipe (PCP), não constando entre eles José Manuel Pureza (Bloco de Esquerda), que prescindiu de ser vacinado nesta fase.

Hoje, o PCP indicou ao presidente da Assembleia da República dois dos seus 10 deputados para a vacinação contra a covid-19, António Filipe e Ana Mesquita, pelos cargos essenciais que ocupam no funcionamento do parlamento.

Numa nota enviada à imprensa, o PCP lembra a sua posição sobre a matéria, considerando que "há órgãos do Estado cujas atribuições e competências específicas são relevantes no combate à epidemia" admitindo, por isso, a vacinação dos titulares desses órgãos "em função de critérios de saúde e das suas atribuições e competências específicas".

"Foram esses os critérios que levaram a que o PCP, nesta fase, tenha indicado para vacinação apenas os seus deputados que integram a Mesa da Assembleia da República, o vice-presidente da AR António Filipe e a secretária da mesa Ana Mesquita", refere o partido.

Os titulares de órgãos de soberania, deputados da Assembleia da República, membros dos órgãos das regiões autónomas e presidentes de câmara, enquanto responsáveis da proteção civil, vão começar a ser vacinados na próxima semana.

No início desta semana, o primeiro-ministro enviou "cartas aos órgãos de soberania para que estabeleçam as prioridades para inoculação em cada um dos serviços".

O Bloco de Esquerda defendeu hoje que apenas deve ser dada prioridade ao presidente da Assembleia da República na vacinação contra a covid-19 e recusa que sejam vacinados os seus deputados.

Esta foi a posição do BE transmitida ao presidente do parlamento, Ferro Rodrigues, que hoje deverá informar quem deve ter prioridade a ser vacinado na Assembleia da República.

Na carta, os bloquistas defendem que "a vacinação dos titulares de altos cargos públicos deve ser bastante circunscrita" e que, no caso do parlamento, "a prioridade deveria ser atribuída apenas ao presidente da Assembleia da República".

Desta forma, a bancada do BE "entendeu, em decisão unânime, não participar no plano de vacinação prioritária a realizar na Assembleia da República".

Deixa o teu comentário