Braga, terça-feira

Autarca de Barcelos lamenta pedido de exoneração de diretor do ACES

Regional

09 Fevereiro 2021

Lusa

O presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, lamentou hoje que o seu homólogo de Esposende tenha pedido a exoneração do diretor do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Cávado III por causa do processo de vacinação.

O presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, lamentou hoje que o seu homólogo de Esposende tenha pedido a exoneração do diretor do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Cávado III por causa do processo de vacinação.

Em videoconferência de imprensa, Costa Gomes (PS) apelou ainda à não politização da questão da vacinação contra a covid-19, sublinhando que os tempos não são para “guerras partidárias” mas sim para unir esforços no combate à pandemia.

“Lamento que haja alguma precipitação a pedir a demissão do diretor do ACES”, referiu o autarca de Barcelos, sublinhando estar em causa “uma pessoa extremamente empenhada e um excelente profissional, que tem dado tudo e mais alguma coisa na questão da saúde pública e em especial na pandemia”.

Na sexta-feira, o presidente da Câmara de Esposende, Benjamim Pereira (PSD), acusou o diretor do ACES Cávado III de estar a "partidarizar” ou desconhecer o Plano Nacional de Vacinação contra a covid-19, exigindo a sua "exoneração imediata".

Benjamim Pereira disse estar "quebrada a confiança" entre o município e Fernando Ferreira, depois de este alegadamente ter sido "perentório" ao afirmar que "só poderia haver um centro de vacinação" por agrupamento, obrigando a população de Esposende a deslocar-se a Barcelos.

Posteriormente, o PS de Esposende anunciou, através da rede social Facebook, e “tendo como fonte o ACES”, que a vacinação seria feita naquele concelho e não em Barcelos, sem que a autarquia tivesse ainda conhecimento oficial dessa decisão.

Hoje, Costa Gomes explicou que as instruções iniciais da Administração Regional de Saúde do Norte apontariam para a criação de um centro de vacinação “de referência”, que neste caso seria em Barcelos, por ser o concelho com maior número de pessoas a vacinar.

Disse ainda que esteve sempre em aberto a possibilidade de, depois, abrir um ponto de vacinação por concelho.

Segundo o autarca de Barcelos, o diretor do ACES “tem tratado os dois concelhos de forma igual, em articulação com as regras que a tutela dele define”.

“Não estamos em fase de pedirmos demissões de ninguém, de nos precipitarmos em nada, estamos em fase de ter alguma serenidade, não politizando esta questão da vacinação”, reiterou Costa Gomes.

O ACES Cávado III abrange Barcelos e Esposende, mas haverá um ponto de vacinação em cada um dos concelhos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.325.744 mortos no mundo, resultantes de mais de 106,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 14.557 pessoas dos 770.502 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Deixa o teu comentário