Braga, segunda-feira

Barcelos desconfina em segurança

Regional

05 Maio 2021

Marlene Cerqueira

Em Barcelos, o processo de desconfinamento prossegue em segurança, com o concelho a manter a situação epidemiológica sob controle. No entanto, Miguel Costa Gomes apela à responsabilidade individual de todos para não haver retrocessos.

Em Barcelos, o processo de desconfinamento prossegue em níveis confortáveis, o mesmo é dizer com a situação epidemiológica está relativamente controlada. O número de novos casos tem sido residual, permitindo ao concelho retomar paulatinamente a normalidade possível.


“Estamos com níveis de novos casos baixos comparativamente com o resto do país”, constata Miguel Costa Gomes, que temia o impacto do “efeito Páscoa” na situação epidemiológica. “Aparentemente, esse temido ‘efeito Páscoa’ não se notou no agravamento considerável no número de novos infectados. Isso é muito bom porque permite à economia funcionar e é preciso que ela funcione”, argumenta o presidente da Câmara de Barcelos, em entrevista ao "Correio do Minho e Antena Minho".
 

 Desde o início da pandemia que a autarquia barcelense tem feito questão de colocar a população a par da situação do concelho. Através de balanços semanais, Miguel Costa Gomes contribui para “sossegar as pessoas”, mas também para para as sensibilizar para a importância de cumprir as regras para mitigar a propagação da pandemia.


Apesar da redução de novos casos, o autarca continua a fazer apelos de cautela à população, alertando para a necessidade de continuar a cumprir regras.


Com o processo de vacinação a massificar-se, o edil alerta que levar a 1.º dose da vacina contra a Covid-19 não confere imunidade. Mesmo quem leva a segunda dose não tem imunidade imediata ao novo coronavírus.


“Quem toma a primeira dose não está imune. Pode até ter menos sintomas o que é mais perigoso porque pode contagiar outras pessoas sem se dar conta”, alerta. Costa Gomes deixa um apelo especial aos jovens. O regresso ao ensino presencial dos alunos do secundário e superior aumentou os contactos nesta faixa populacional, pelo Costa Gomes alerta os jovens para se lembrem que em casa têm pais, avós ou outros familiares em quem a doença pode ter graves consequências.

Deixa o teu comentário