Braga,

Barcelos reforça posição como destino criativo

Desporto

14 Setembro 2019

Redação

Câmara Municipal de Barcelos adere a Rede de Cidades Criativas da UNESCO e à Creative Tourism Network. Autarquia assinou acordo de colaboração com a Rede Europeia das Cidades do Vinho.

A Câmara Municipal de Barcelos aprovou, na última reunião do executivo, um memorando de entendimento com os municípios de Amarante, Braga, Idanha-a-Nova e Óbidos para a criação da Rede de Cidades Criativas da UNESCO.


Os cinco municípios beneficiam da promoção da marca UNESCO Creative Cities, bem como de acesso à bolsa de oportunidades para criativos e cidades, eventos conjuntos e conferência nacional bienal, parcerias com universidades e politécnicos e procura de fundos nacionais e internacionais para projectos comuns. O memorando prevê uma estrutura de governança informal, contendo um conselho estratégico e um conselho geral, compostos por elementos dos cinco municípios.
 

Ainda na mesma reunião, o executivo aprovou a adesão do Município à Creative Tourism Network, rede internacional que desenvolve a sua actividade na área do turismo criativo, sem fins lucrativos, com sede em Barcelona. A adesão de Barcelos permite beneficiar de uma chancela internacional, que resultará em valor acrescentado estratégico para a promoção turística municipal. Esta adesão permite ao Município a certificação do território como Creative Friendly Destination, beneficiando de aconselhamento gratuito, bem como da avaliação permanente e acompanhamento dos projectos de turismo criativo, palestras e conferências dos representantes desta rede, promoção de feiras, congressos e conferências e parcerias estratégicas com operadores turísticos. Ainda no âmbito da promoção das potencialidades do Município, a vereação barcelense aprovou um acordo de colaboração com a RECEVIN – Rede Europeia das Cidades do Vinho, organização que congrega 800 cidades e que nasceu da constatação de que nas regiões cuja base produtiva assenta essencialmente na produção de vinho de qualidade.


O acordo visa desenvolver as premissas necessárias e adequadas a uma promoção comum, conjunta e em rede, dos vinhos nacionais e europeus, assim como dos produtos agroalimentares e turísticos que se encontrem associados a cada um dos respectivos territórios.

Deixa o teu comentário