Braga, terça-feira

Bracarenses perdem 89 horas por ano nas filas de trânsito

Regional

30 Janeiro 2020

Redação

Braga é a terceira cidade portuguesa com mais congestionamento de trânsito. Em 2019, cada automobilista perdeu mais de três dias no pára-arranca.

Os automobilistas gastam a mais 89 horas nas deslocações em automóvel em horas de ponta na cidade de Braga. Segundo o ‘ranking’ de tráfego rodoviário relativo ao ano de 2019, elaborado pela empresa ‘TomTom’, os bracarenses que utilizam o automóvel para as suas deslocações diárias despendem a mais dez minutos por uma viagem de meia hora, no período de ponta matinal. Ao final da tarde, o tempo perdido em consequência do congestionamento de trânsito sobe para 14 minutos por cada meia hora.

No último ‘Traffic Index Ranking’ anual da ‘TomTom’, a cidade de Braga surge com um nível de congestionamento de tráfego de 18% em 2019, mais dois pontos percentuais relativamente a 2018. Aquele indicador é calculado a partir de informações de tráfego em tempo real recolhidas pela ‘TomTom’.

O ‘Traffic Index Ranking' analisa o congestionamento de trânsito em 416 cidades de 57 países, encontrando-se Braga na 334.ª posição.

Em termos nacionais, Braga é a terceira cidade com mais nível de congestionamento rodoviário, abaixo dos 33% de Lisboa e os 31% do Porto.

No caso de Braga, as 89 horas de tempo de viagem extra durante as designadas horas de ponta é calculado tendo como referência um período de uma hora em condições de fluxo livre de trânsito, multiplicado por 230 dias úteis por ano.

O nível de congestionamento é definido neste ‘ranking’ pelo excesso de tempo que os automobilistas passam nas estradas, durante todo o ano. Os valores deste índice são obtidos pela comparação dos tempos de deslocações sem congestionamento (não considerando os limites de velocidade) e a média dos tempos registados em todas as deslocações feitas durante um ano.

A avaliação da ‘TomTom’ permite concluir que o final de tarde é um período mais complicado para a condução automóvel que o ‘hora de ponta’ da manhã.

Sofia Veríssimo, responsável da ‘TomTom’ para Portugal e Espanha, justificou o aumento do congestionamento rodoviário com o facto de a cidade ter vindo a acompanhar a tendência de crescimento do turismo em todo o país.

“O crescimento da cidade tem sempre muitos factores associados e um deles é o aumento do tráfego”, pelo que “embora se mantenha bastante abaixo de metade da tabela mundial, Braga regista valores de tráfego elevado em Portugal, sobretudo em artérias secundárias (21%).”

Em 2018, a cidade Braga apresentou no ‘Traffic Index Ranking’ uma degradação do nível de congestionamento automóvel de 3% face ao ano de 2017.

Nesse ano, foi a cidade portuguesa analisada com o maior aumento do nível de congestionamento.

Deixa o teu comentário