Braga, terça-feira

Braga vai desenvolver plano para construir uma cidade sustentável

Regional

14 Janeiro 2020

Redação

Câmara Municipal e UMinho, através do instituto IB-S, assinam hoje um protocolo de cooperação para a criação do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável que tem 2026 como horizonte.

A Câmara Municipal de Braga e a UMinho, através do Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade (IB-S), celebram hoje um protocolo para a cooperação e apoio na criação do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Município de Braga.

A cerimónia realiza-se pelas 15 horas, no salão nobre dos Paços do concelho, contando com a presença do vice-reitor para a Investigação e Inovação, Eugénio Campos Ferreira, e do presidente do município, Ricardo Rio.

O Município de Braga está a tomar medidas para a garantir uma cidade sustentável e resiliente aos desafios globais que já se manifestam no território. Para fazer face a estes desafios, está a desenvolver um Plano Estratégico para o Desenvolvimento Sustentável que vai contar com o apoio do IB-S. Por um lado, pretende-se que o plano seja complementar ao Plano Estratégico para o Desenvolvimento Económico de Braga e, por outro, que se torne numa plataforma agregadora e integradora do trabalho desenvolvido por toda a comunidade.

O desenvolvimento económico, o reforço da coesão territorial e social, a protecção do ambiente e a resiliência às altera- ções climáticas são premissas deste projeto, que tem o ano 2026 como horizonte e pretende ser alargado a toda a sociedade. Braga está a desenvolver medidas para construir uma cidade sustentável e um bom local para viver e visitar, numa perspetiva integrada do território nas suas variadas vertentes.

O plano tem como base os princípios de estabelecer uma visão holística e transversal das actividades do município no âmbito do desenvolvimento sustentável. “Por um lado, pretende-se que este plano seja complementar ao Plano Estratégico para o Desenvolvimento Economico de Braga e, por outro, que este plano se torne numa plataforma agregadora e integradora do trabalho desenvolvido por toda a comunidade”, referiu Ricardo Rio.

Deixa o teu comentário