Braga, sábado

Brasil ultrapassa 10 milhões de infeções pelo novo coronavírus

Internacional

18 Fevereiro 2021

Lusa

O Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia, ultrapassou hoje 10 milhões de infeções pelo novo coronavírus (10.030.626), no momento em que o registo do primeiro caso no país está prestes a completar um ano.

Os dados foram divulgados hoje pelo Ministério da Saúde brasileiro, no seu último boletim epidemiológico, que contabiliza 51.879 diagnósticos de covid-19 nas últimas 24 horas.
 

Em relação ao número de mortes, o Brasil totaliza 243.457 vítimas mortais, após ter somado 1.367 óbitos entre quarta-feira e hoje.
 

O país sul-americano, um dos focos mundiais da pandemia e que enfrenta uma segunda vaga da doença e a expansão de uma nova estirpe detetada no Amazonas, teve o seu primeira caso de infeção detetado em 26 de fevereiro de 2020.
 

Desde então, o Brasil, com cerca de 212 milhões de habitantes, tornou-se no segundo país do mundo com mais mortes devido à covid-19, atrás dos Estados Unidos, e o terceiro em infeções, depois da nação norte-americana e da Índia.
 

Além disso, o Brasil é também uma das nações com maior número de recuperados: 8.995.246, sendo que 791.923 pacientes infetados estão sob acompanhamento médico em território brasileiro, quer em hospitais, quer nas suas residências.
 

Segundo dados do Governo Federal, a taxa de letalidade da covid-19 permanece em 2,4% e a taxa de incidência é hoje de 116 mortes e 4.773 casos por 100 mil habitantes.
 

Das 27 unidades federativas do Brasil, São Paulo é a que concentra o maior número de infeções (1.949.459), sendo seguido por Minas Gerais (822.448), Bahia (643.244) e Santa Catarina (627.386).
 

Já os Estados com mais óbitos são São Paulo (57.240), Rio de Janeiro (31.882), Minas Gerais (17.249) e Rio Grande do Sul (11.609).
 

O agravamento da pandemia no Brasil nas últimas semanas coincide com a disseminação da nova estirpe detetada no Amazonas, que o Ministério da Saúde considera "três vezes mais contagiosa" do que a original da covid-19.
 

No sentido de travar a propagação do vírus, o Ministério Público (MP) brasileiro entrou hoje na Justiça para que passe a ser obrigatório a exigência de teste negativo à covid-19 para embarque em voos domésticos, tal como já acontece em viagens internacionais.
 

Segundo o MP, os números do Ministério da Saúde mostram que a pandemia avança de forma descontrolada, com médias superiores a mil mortes diárias nos últimos 15 dias, e que as novas variantes são detetadas com maior frequência em outras regiões além do Amazonas, estado amazónico onde surgiu a nova estirpe.
 

“De nada serve o distanciamento social e as medidas farmacológicas se for permitido o livre fluxo de infetados em território nacional sem que sejam submetidos a medidas de contenção”, indica o recurso interposto conjuntamente por quatro procuradores regionais perante a justiça do Ceará.
 

“Quando não é viável o encerramento das fronteiras (entre os estados brasileiros), é necessário criar barreiras sanitárias eficazes”, acrescentou o texto.
 

Segundo a petição, o transporte aéreo foi justamente o meio que possibilitou a universalização e diversificação da doença.
 

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.430.693 mortos no mundo, resultantes de mais de 109,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Deixa o teu comentário