Braga, sexta-feira

Braval recolheu 17.540 toneladas de resíduos recicláveis nos ecopontos

Regional

22 Janeiro 2020

Redação

É com um aumento de 1,7 por cento da taxa de resíduos recolhida que a Braval traça um balanço positivo de 2019. O director geral, Pedro Machado, felicita a população pelos resultados que preservam o meio ambiente e poupam nas tarifas de resíduos.

Em 2019, a Braval recolheu 17.540 toneladas de resíduos recicláveis nos ecopontos existentes na área de abrangência da Braval (Amares, Braga, Póvoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Vila Verde), mais 298 toneladas do que em 2018, significando um aumento de 1,7 por cento.

“Globalmente, 2019 foi, mais uma vez, um ano positivo em termos de reciclagem. A Braval felicita a população que tem contribuído para estes resultados, aqueles que separam os seus resíduos, colocando-os nos ecopontos, contribuindo para a preservação ambiental do nosso planeta e poupando nas tarifas de resíduos pagas pelos municípios”, indica, em comunicado à imprensa, Pedro Machado, director geral da Braval.

No total, os resíduos valorizáveis: vidro, papel e embalagens, juntamente com a recolha de outros resíduos recicláveis: Resíduos de Equipamentos Elétricos e Electrónicos (REEE) e Pilhas e Acumuladores, Círios e Velas e Óleos Alimentares Usados, bem como os pneus usados recebidos, atingiram cerca de 19.708 toneladas. Este resultado é positivo, a quantidade de resíduos recolhidos para valorização aumentou em quase todos os fluxos, relativamente a 2018, o que dá bons indicadores relativamente à adesão da população, mas que não é suficiente para o atingimento das metas do PERSU 2020.

A recolha de vidro aumentou 5,6 por cento, foram recolhidas 7.012 toneladas, mais 373 toneladas do que em 2018, o valor mais alto de sempre.

Foram recolhidas 8.060 toneladas de papel e Cartão, aumento cerca de 5,4 por cento, comparativamente a 2018.

Relativamente às embalagens de plástico e metal, foram recolhidas 2.468 toneladas menos 487 toneladas do que em 2018. Esta diminuição poderá estar relacionada com a sensibilização e legislação aplicada, com vista à diminuição da utilização de plástico. A tendência terá de ser analisada nos próximos anos.

A recolha de óleos alimentares usados aumentou 2,6 por cento, tendo sido recolhidos 77.655 litros, mais 1979 litros relativamente a 2018. Em 2019, o aumento foi providente sobretudo do sector da hotelaria.

Nos contentores instalados nos cemitérios foram recolhidas 131 toneladas de círios e velas, mais 13 toneladas do que em 2018, um aumento de 11 por cento, mantendo a tendência de aumento de quantidades.

Em termos de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos e Pilhas e Acumuladores, a quantidade recolhida deste tipo de resíduos diminui, foram recolhidas 142 toneladas, menos quatro toneladas do que em 2018, continuando a tendência de decréscimo. Esta diminuição estará relacionada com o pedido de retirada de pontos electrão devido ao aumento do desvio ilegal deste tipo de resíduos, em diversas superfícies comerciais.

Relativamente à recepção de pneus usados, a quantidade recebida aumentou 209 toneladas, no total foram recebidas 1.824 toneladas de pneus usados.

A valorização energética do biogás produzido no aterro sanitário e na Central de Valorização Orgânica permitiu a introdução de 6.637 MWh de energia na Rede Eléctrica Nacional, mais 1.122 MWh do que em 2018.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho