Braga, quinta-feira

Campeã nacional fundou Clube Bracara Academia de Bilhar

Desporto

02 Outubro 2019

Redação

Sara Rocha conta no seu currículo desportivo 31 títulos nacionais e várias conquistas internacionais. Campeã nacional individual por catorze vezes, conquistou cinco edições da Taça de Portugal.

Sara Rocha conta no seu currículo desportivo 31 títulos nacionais e várias conquistas internacionais. Campeã nacional individual por catorze vezes, conquistou cinco edições da Taça de Portugal. Por equipas ganhou seis vezes o título de campeã nacional e três Taças de Portugal. Campeã da Europa por equipas em 2018 e 2019, averbou no plano individual duas medalhas de bronze nos campeonatos da Europa de 2016 e 2018.

“Temos uma equipa feminina mais do que suficiente para conseguir ganhar o título nacional, a Taça de Portugal”, diz Sara Rocha, a fundadora do Clube Bracara Academia de Bilhar. A colectividade vai disputar as com- petições nacionais da modalidade.

“Neste momento temos três equipas masculinas e uma equipa feminina. A equipa feminina sou eu e mais duas, a Ana Oliveira e a Inês Silva, atletas que vivem no Porto, boas referências a nível nacional. Juntas, já ganhámos títulos por equipas a nível nacional”, prossegue, acrescentando que o objectivo da criação deste clube passa também por “tentar trazer títulos para a nossa cidade e para a Bracara Academia de Bilhar”.

“Eu joguei quatro anos no Benfica, mais cinco na Académica. Os títulos que eu ganhei foi enquanto jogava nesses clubes”, explica, adiantando que “um dos meus sonhos era criar um clube que tivesse a sede em Braga e assim é, no centro, na Avenida da Liberdade, num espaço que ainda se chama Galerias do Bingo. É um espaço enorme, com oito mesas de bilhar, com as melhores condições para a competição. Eu tenho muito cuidado na escolha de panos, de bolas, de material para os jogadores. Tento ter sempre o melhor. Eu também gosto de jogar com o melhor”.

Quanto às equipas masculinas, ainda segundo Sara Rocha, uma é composta por seniores, “a velha guarda”, como lhe chama, por integrar elementos com mais idade.

“Jogam em Braga há muitos anos, já frequentavam o Beijo Frio, um dos elementos é o meu pai (foi com ele que eu ganhei esta paixão pelo billhar) e no fundo vai competir para passar o tempo, por assim dizer”, explica. Mas há outra equipa, para competir em pool português, uma variante em que, como não há provas para o feminino, é permitida a integração na mesma equipa de mulheres e homens. A própria Sara Rocha vai fazer parte desse colectivo a par de jogadores que, observa, “já têm alguma experiência e bons resultados a nível distrital”.

Sara Rocha explica-nos que “entramos na segunda divisão, porque é um clube novo” e confessa a expectativa de que a Bracara Pool tem “muitas possibilidades de chegar a uma fase final e lutar pelo título nacional”.

Adiante, a fundadora da colectividade confessa-se “orgulhosa” com a criação da equipa Bracara Jovem, constituída por elementos de idade ainda juvenil e jovens adultos. “Vão dos 14 até aos 22 ou 23 anos”, acrescenta, vincando que “querem aprender a jogar, gostam do desporto, procuram aprender, ou seja, não vão lá só fazer os jogos; gostam de treinar; procuram-me muitas vezes, pois sabem que eu sou neste clube a pessoa mais indicada para os ajudar”.

Se houver quem se considere com jeito e vocação para a prática competitiva da modalidade, segundo Sara Rocha, é fácil entrar no clube. “Basta fazer-se sócio e depois trata-se da filiação na Federação Portuguesa de Bilhar. Há nisso um custo associado”. Depois, acrescenta ainda, “poderá ou não integrar uma equipa; tem que se ver se aquele elemento pode integrar aquela equipa. Não basta ser bom jogador, pois é preciso que a equipa funcione bem ao nível competitivo e seja coesa”.

O clube está agora a nascer e os seus custos são suportados pelas quotas dos sócios. Nesta fase prevalecem os custos com inscrições. A nível de equipamento, o clube oferece os pólos. O resto é cada jogador que suporta: calças, sapatos, e cada jogador tem o próprio material e o seu taco.

“Para dar resposta às necessidades e força a modalidade em crescimento”.

O Clube Bracara Academia de Bilhar é um novo projecto que nasce em Braga para “dar mais força a uma modalidade desportiva que está em pleno crescimento, o bilhar”, refere Sara Rocha, fundadora e presidente da direcção do clube.Tem sede nas antigas instalações do Bingo do SC Braga, na Avenida da Liberdade, um espaço destinado a formação e competição mas também ao entretenimento, com oito mesas. O clube, segundo a fundadora “vem responder às necessidades que vão surgindo tendo em conta o elevado número de pessoas que hoje procuram este desporto e que o querem encarar de uma forma mais séria e profissional”.

“Decidi fundar este clube porque, depois de jogar quatro anos pelo Benfica e cinco anos pela Académica se Coimbra, sempre tive o sonho de ser campeã por um clube da minha terra, da minha cidade e principalmente por uma academia criada por mim”, adianta Sara Rocha. Esta é uma academia, prossegue ainda, que se pretende “cheia de sonhos e novos projectos e onde seja possível transmitir aos mais novos este meu conhecimento da modalidade”. “Sinto este passo que faltava na minha carreira desportiva, num ano especial em que fui considerada como a melhor atleta dos 25 anos da Federação Portuguesa de Bilhar”, revela, lembrando que nestes últimos dois anos “consegui ainda juntar duas medalhas de ouro no campeonato da Europa aos meus 31 títulos nacionais e ao ouro no Campeonato do Mundo em Las Vegas”, resultados que considera serem “de excelência, alcançados nos clubes por onde passei e que tenciono trazer para o clube Bracara Academia de Bilhar o mais brevemente possível, através da minha experiência e paixão pela modalidade”.

Deixa o teu comentário