Braga, quarta-feira

Capacitação da administração pública e desafio demográfico são "prioridades" para o futuro

Regional

06 Julho 2021

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

Entre as prioridades que o Eixo Atlântico tem já delineadas para o futuro do território do Norte de Portugal-Galiza estão a capacitação da administração pública e o desafio demográfico.

Além da valorização do conhecimento produzido na euro-região Norte de Portugal-Galiza, o presidente do Eixo Atlântico indica como “prioridades” de acção para o futuro próximo a questão da demografia e a capacitação dos serviços da administração pública.


Ricardo Rio destaca “o valor” das instituições de Ensino Superior da euro-região, apontando-as como factor essencial do desenvolvimento regional. “Temos nesta euro-região instituições de ensino superior, universidades e politécnicos, que são cruciais no crescimento que os territórios têm registado e é importante continuar a alimentar essa produção de conhecimento e a sua articulação com o tecido empresarial”.


Entre as prioridades do Eixo Atlântico está a capacitação dos serviços da administração pública. “Não é possível dar boas respostas aos cidadãos em cada área de intervenção se não houver um esforço de modernização da administração pública, até com inovação tecnológica”, apontou.


Em termos de linhas de acção conjuntas para o futuro da euro-região, o presidente do Eixo Atlântico para o problema demográfico como um dos “maiores desafios do ponto de vista social da euro-região Norte de Portugal-Galiza” - uma questão que Ricardo Rio quer ver também “acautelada” nos Planos de Recuperação e Resiliência de Portugal e Espanha.


Uma preocupação partilhada também pela alcaldesa de Lugo e vice-presidente do Eixo Atlântico, que diz que, muitas vezes, territórios como a euro-região Norte de Portugal-Galiza são desvalorizados pelos governos centrais por serem territórios com menor população.


“Penso que devemos ser actores activos importantes na reconstrução para ter competitividade e ter capacidade de desenvolvimento no futuro e para ter mais força numa Europa global, também ela competitiva”, frisou a alcaldesa de Lugo.

Deixa o teu comentário