Braga, sexta-feira

Centro Cultural Sénior tem abertas inscrições para novo ano letivo

Regional

15 Julho 2021

Redação

PROMOVER o envelhecimento cativo é missão do Centro Cultural Sénior que já apresentou propostas de formação em regime não formal para o próximo ano letivo. Inscrições decorrem até Setembro.

O Centro Cultural Sénior (CCS) apresentou anteontem os módulos do ano lectivo de 2021 e 2022, cujas aulas começam no dia 6 de Outubro. As inscrições estão abertas até ao dia 30 de Setembro.


A inscrição no CCS tem um custo de 60 euros, sendo que a inscrição em apenas um módulo custa 15 euros, em dois módulos fica por 25 euros, em três módulos custa35 euros e a inscrição em quatro módulos fica por 40 euros.


O plano para o próximo ano lectivo é composto por aulas de Inglês Básico (das 14h30 às 16h00) e Inglês Intermediário (das 16h00 às 17h30) às segundas-feiras; ‘Lucas ao ritmo da Liturgia’ (das 14h30 às 16h00) às terças-feiras; ‘História da Arte e da Cultura e sua aplicação à vida’ (das 14h30 às 16h00 e das 16h00 às 17h30) às quartas-feiras; ‘Arqueologia e Arte Cristãs’ (das 14h30 às 16h00 e das 16h00 às 17h30) e as aulas do Coro CCS (das 17h30 às 19h00) às quinta-feiras; ‘História e Arte no Minho’ (das 14h30 às 16h00 e das 16h00 às 17h30) às sextas-feiras.


A frequência de cada módulo pressupõe a inscrição de um mínimo de dez pessoas.


Eduardo Pires de Oliveira (História da Arte no Minho), José Paulo Abreu ( Arqueologia e Arte Cristãs), Luís Casimiro ( História da Arte e da Cultura e sua aplicação à vida’), Esmeralda Afonso ( Inglês) e José Alberto Correia (Lucas ao ritmo da Liturgia) são os orientadores dos módulos propostos para o novo ano lectivo.


O coro do CCS é dirigido pelo maestro Nuno Oliveira.


O CCS é uma instituição criada em Setembro de 2009, que procura criar e dinamizar regularmente actividades sociais, culturais e educacionais em regime não formal, sem fins de certificação e no contexto de aprendizagem ao longo da vida.


Promover a formação integral dos inscritos incluindo a vertente espiritual, oferecer um espaço organizado onde se possa conviver sã e construtivamente, num espírito de solidariedade e cooperação franca e amigável, prevenir e combater o isolamento através de convívio e integração, bem como proporcionar a frequência de aulas e ateliês onde as capacidades dos formandos possam ser alargadas a novas experiências, aprendendo e ensinando são objectivos específicos do CCS.


Os seus responsáveis defendem que o envelhecimento deve ter “lugar num contexto de amigos, colegas de trabalho, vizinhos e membros da família pois a interdependência e solidariedade entre gerações são princípios importantes” nesta fase da vida. Entendem a palavra activo como sinónimo de “uma participação continuada nos aspectos social, económico, cultural e espiritual e não apenas na capacidade de ser fisicamente activo”.

Deixa o teu comentário