Braga, segunda-feira

Centros de Saúde da Apúlia, Belinho e Forjães em Esposende reabrem até 30 de setembro

Regional

03 Setembro 2020

Redação

O presidente da Câmara de Esposende apontou hoje o final de setembro para a reabertura dos Centros de Saúde da Apúlia, Belinho e Forjães, depois de resolvidos os impedimentos causados pela necessidade de obras e recursos humanos.

O presidente da Câmara de Esposende apontou hoje o final de setembro para a reabertura dos Centros de Saúde da Apúlia, Belinho e Forjães, depois de resolvidos os impedimentos causados pela necessidade de obras e recursos humanos.

Em declarações à Lusa, Benjamim Pereira salientou que aquelas unidades de saúde, encerradas dentro da estratégia de combate à pandemia causada pelo novo coronavírus traçada pelo Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) de Barcelos, ainda se mantêm fechadas porque não eram capazes de responder às medidas impostas pela Direção-Geral de Saúde para reabrirem.

"Há uma componente de recursos humanos que não depende da câmara (...). Para além de algumas pessoas que se foram reformando, é o ciclo normal, temos também outras exigências que não existiam no passado, nomeadamente assistentes operacionais", explicou o autarca.

A título de exemplo, acrescentou, "um utente entra numa unidade de saúde, não pode entrar outro sem que seja desinfetado o espaço e isso não vai ser feito pelo médico ou enfermeiro, tem que ser feito por um assistente operacional mas em permanência no espaço".

"Esses recursos humanos já eram deficitários antes da pandemia, agora são claramente deficitários e impedem o funcionamento normal dos espaços", apontou.

Benjamim Pereira deu conta dos contactos mantidos com a Administração Regional de Saúde do Norte, apontando o final do mês de setembro como data para reabertura daquelas valências.

"É quase com um nível de certeza de 99% que eles vão reabrir até ao final de setembro. Estamos a acompanhar o processo de muito perto. O investimento nas obras nunca foi o que esteve em causa para a reabertura, tem muito mais a ver com recursos humanos", afirmou.

Quanto às obras necessárias nos espaços, o autarca salientou que não são da responsabilidade da autarquia, mas que esta se prontificou a fazê-las.

"Não é da nossa responsabilidade, devia ser a Administração Central a fazê-lo, mas nós estamos aqui. Para obras de fundo não, porque não podemos admitir isso, mas também não são essas que estão em causa neste momento. Está a haver uma planificação de intervenções mais ligeiras que permitam a abertura e há intervenções de fundo que terão que ser feitas no futuro", referiu.

Em Esposende foram detetados 96 casos de Covid 19, estando 14 ativos.

Portugal contabiliza pelo menos 1.827 mortos associados à covid-19 em 58.633 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho