Braga, quinta-feira

Cláudio saiu do banco e marcou golo que deu vitória ao Prado

Desporto

21 Outubro 2019

Redação

Aos 67 minutos, acabado de entrar em substituição de Ferreira, Cláudio aproveitou um erro na defensiva do S. Paio dArcos e desempatou a favor do Prado.

O Prado recebeu no Campo do Faial e venceu ontem o S. Paio d’Arcos, por 2-1, em jogo da 9.ª jornada da Pró-Nacional da AF Braga.


Aos 2 minutos, a equipa visitante esteve perto de marcar, por Paulinho, que se isolou à direita e rematou cruzado, mas Ruben saiu dos postes a fechar o ângulo e interceptou o disparo.


Logo na resposta foi a vez de o Prado chegar com oportunidade à baliza dos forasteiros, num canto apontado na direita por Diogo, fazendo a bola cair sobre a entrada da pequena área, onde Bruno Silva saltou mais alto do que os defesas, mas falhou por pouco e nem tocou na bola.
 

O Prado intensificou a pressão e chegou ao golo, no seguimento de numa?jogada que começa fora da área, com Ferreira a rematar forte e colocado, a que Alex corresponde em golpe de rins a socar para canto.


É após esse canto que Ni marca o primeiro golo , 1-0 aos 16 minutos.


A resposta do S. Paio d’Arcos não tardou muito e André, com eficácia, concluiu uma transição rápida fazendo o empate, 1-1 aos 22 minutos.


O primeiro tempo continuou animado, com ambas as equipas a trocar a bola, ora pelos flancos ora por zonas interiores.

Ainda antes do intervalo, o treinador do Prado sofre uma contrariedade, vendo-se obrigado a gastar uma substituição, forçada, por lesão de Rafa.


A igualdade no marcador com que as equipas saíram para o descanso tinha correspondência com um balanço de alternância de ascendentes: houve fases em que atacava mais uma equipa e fases em que atacava a outra.


Logo no início da etapa complementar, Ferreira isola-se na esquerda e acerta no segundo poste.


Seguiu-se um período muito interrompido, por jogadores que caíam a pedir assistência, tendo por efeitos nas quatro linhas as quebras de ritmo, por vezes os cartões amarelos e nas bancadas trocas de palavras, raramente condignas num domingo.
 

Embora sem anular de todo a manobra adversária, o Prado foi tomando mais conta do jogo em ataques elaborados em tempos longos; o S. Paio d’Arcos foi respondendo em transições mais rápidas.
 

Aos 67 minutos, Cláudio teve via aberta numa falha defensiva dos visitantes e desfez o empate, 2-1 a favor da equipa da casa.


Pouco depois o Prado teve aos 75 minutos ensejo para voltar a marcar, por Bruno Silva, que acertou (de novo) no poste.


O derradeiro quarto de hora foi uma continuidade de jogo nem sempre bem disputado, muitos passes transviados, pequenas faltas e protestos que foram quebrando a cadência do encontro.


As substituições entretanto operadas por Zé Nuno Azevedo e Ricardo Correia não surtiram qualquer efeito visível.
 

Nem o S. Paio d’Arcos teve a arte para chegar de novo ao empate nem o Prado logrou ‘matar’ o jogo com um terceiro golo, embora tenha estado próximo de o conseguir, perto do apito final, num lance definido na área dos visitantes. Cláudio subiu pela esquerda, assistiu com um passe recuado Bruno Silva, mas entre a trajectória da bola e o espaço percorrido pelo ponta de lança deu-se um desencontro, gorando uma boa oportunidade.


Pela quantidade de situações de golo iminente que criou o Prado justificou o triunfo.


A arbitragem, sem influência directa no resultado, teve erros de análise e por vezes indecisões dos auxiliares.

Deixa o teu comentário