Braga,

Close-up regressa em Janeiro a Famalicão com um outro tempo de vista

Diversos

26 Dezembro 2019

Redação

Nos dias 15 e 18 de Janeiro regressa o Close-up - Observatório de Cinema de Famalicão, dando continuidade à observância da temática do Tempo.

O Close-up – Observatório de Cinema de Famalicão regressa já, no primeiro ímpeto do ano de 2020, nos dias 15 e 18 de Janeiro, com a primeira réplica do quarto episódio exibido em Outubro, dando continuidade à observância da temática do Tempo. É um “tempo de vista” da programação da Casa das Artes de Famalicão, que investe na formação de públicos, desta feita, no domínio cinematográfico.
 

Recorde-se que entre 12 e 19 de Outubro, 40 sessões comentadas foram vistas por quatro mil espectadores. Foi assim que, em Outubro, vários espaços da Casa das Artes, se projectou o episódio 4.0 do Close-Up onde a produção contemporânea e a história do cinema se cruzaram.
 

Agora, nos dias 15 e 18 de Janeiro, chega o Close-up 4.1, a primeira réplica que se fará sentir em quatro sessões, duas com propostas para as escolas e outras tantas para o público geral.
 

Para o público escolar do 3.º ciclo e do secundário em Ruth de António Pinhão Botelho é descrito o insólito episódio da chegada de Eusébio ao Portugal dos anos 60. Um filme para ver no dia 15 de Janeiro às 10 horas.
 

Já para os mais pequenos, alunos dos 1.º e 2.º ciclos, é proposta Uma Aventura nos Mares de Ángel Alonso (versão portuguesa), uma animação espanhola a narrar a expedição de Fernão de Magalhães, no tempo de comemoração dos 500 anos sobre a primeira viagem de circum-navegação da Terra. O filme é projectado a partir das 14.15 horas.
 

Para o público geral, no dia 18 de Janeiro, a partir das 15 horas, uma tarde de sábado dedicada ao documentário: duas documentaristas portuguesas – Catarina Mourão e Renata Sancho – transformam imagens de outros tempos em histórias que dialogam com o nosso tempo: O Mar enrola na areia e Avenida Almirante Reis em 3 andamentos, que contará com apresentações das realizadoras.
 

A partir das 17 horas, o realizador Nanni Moretti olha para o golpe de estado que derrubou Allende no Chile em 1973, do “tempo de vista” da sua Itália, em Santiago, Itália.

Deixa o teu comentário