Cofres bem recheados só à custa do Sporting

Desporto

03 Julho 2021

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

São 33 milhões que o Braga lucrou com recentes negócios com os leões. Venda de Esgaio é oficial. Rúben Amorim está totalmente pago e prazos por Paulinho integralmente respeitados. Relações vivem agora melhores dias.

Outrora às avessas por incumprimento dos acordos estabelecidos, SC Braga e Sporting vivem hoje relações institucionais bem mais normalizadas.

Os leões, que têm sido um dos melhores clientes dos arsenalistas, já saldaram por completo a dívida sobre Rúben Amorim, cumprindo escrupulosamente os prazos definidos e acordados pelos dois clubes. No que toca ao ponta-de-lança Paulinho, também está tudo em dia e sem atrasos.

Agora, segue-se Ricardo Esgaio, que foi ontem oficializado como reforço do Sporting, regressando assim aos leões ao fim de quatro temporadas a representar os Guerreiros do Minho (179 jogos oficiais e oito golos marcados).

O Sporting paga ao SC Braga qualquer coisa como 5,5 milhões de euros, adquirindo os 80% do passe que pertenciam aos arsenalistas.

Esgaio chegou a Braga em 2017, envolvido na transferência de Battaglia para Alvalade. Os leões salvaguardaram 20 por cento dos direitos sobre Esgaio e, agora, passam a deter a totalidade do jogador de 28 anos.

Com a venda do lateral-direito, o SC Braga vê aumentar a verba que tem entrado nos cofres proveniente dos verde-e-brancos nos últimos anos. São já 33,6 milhões de euros encaixados com transacções directamente de Braga para Alvalade, com a ressalva de que, tanto Rúben Amorim e Paulinho, como agora Esgaio, não representaram qualquer investimento no momento das respectivas aquisições por parte do SC Braga. Ou seja, é praticamente tudo lucro para os Guerreiros do Minho.

Deixa o teu comentário