Braga, sexta-feira

Coleccionador de pódios de olhos postos em Tóquio

Regional

23 Dezembro 2020

Redação

Júlio Ferreira, nome grande do taekwondo, tem estado em destaque na conquista de resultados de excelência e aponta aos Jogos Olímpicos.

As metas, os objectivos, as vontades estão bem definidas e são muito claras. Júlio Ferreira sabe o que quer e onde pretende chegar na prática do “seu” taekwondo. Este recém-oficializado arquitecto tem colocado, muitas vezes, a prática desportiva à frente de tudo o resto na sua vida. Mas sempre com um propósito: o de chegar cada vez mais longe.

Júlio conheceu o taekwondo há 20 anos [ver caixa] e esta é uma paixão que o tem acompanhado sempre traçando metas cada vez mais ambiciosas. E se o palmarés indica claramente que essa ambição não é, de qualquer forma, desmedida, também obrigam Júlio a olhar cada vez mais para a frente, para o horizonte de glória que quer vislumbrar cada vez mais perto.

“Desde que comecei a competição no taekwondo que tenho procurado impor a mim próprio objectivos cada vez mais ambiciosos. Penso que só assim faz sentido todo o esforço e dedicação que os atletas têm que impor todos os dias para se manterem a bom nível. Se não houver metas ambiciosas a atingir, porque é que haveremos de nos dedicar tanto?”, refere o jovem praticante de taekwondo.

Para o atleta do SC Braga, equipa que representa praticamente desde sempre (ou pelo menos desde que deixou a Academia Koryo, onde começou a praticar), o vasto palmarés que já conseguiu conquistar é apenas o início daquilo que pretende atingir na sua carreira.

E Júlio sabe que a carreira de um atleta de taekwondo é curta, como a dos outros desportistas (aos 30 e poucos anos, habitualmente, a carreira competitiva termina). Por isso, neste momento (e apesar de outras prioridades), na sua mente está só uma meta: uma medalha em Tóquio.

Deixa o teu comentário