Braga, terça-feira

Condutores à espera de fiscalização

Regional

31 Outubro 2020

Redação

Quatro acessos ao concelho estão a ser fiscalizados pela PSP de Braga. Ontem, durante a operação de fiscalização e de sensibilização, na rotunda junto ao Arcada Nova, os condutores mostraram-se tranquilos, concordando com a medida.

A ordem é para ficar em casa por estes dias. Mas há sempre quem tenha que trabalhar e há ainda aqueles que tentam ‘fintar’ as regras. Por isso, a PSP e a GNR estão a fiscalizar as deslocações entre concelhos até segunda-feira, tendo em especial atenção os “principais eixos viários” que ligam as cidades.


Na operação de fiscalização/ sensibilização da PSP de Braga, que decorreu durante a tarde de ontem na rotunda junto ao Nova Arcada, o Correio do Minho falou com Teresa Machado, residente em Braga, que vinha da Escola Básica de Prado, no concelho de Vila Verde. A professora de Português, que faz este percurso todos os dias, apesar de “não estar propriamente à espera desta operação”, não estranhou quando o agente lhe indicou para sair da variante, que liga Vila Verde a Braga, e seguir para a rotunda.
 

“Acho que estas acções são muito boas para todos em termos de controle da pandemia”, defendeu a professora, concordando com a medida do Governo. “Temos todos de colaborar para ajudar a combarer a Covid-19”, apelou.


Teresa Machado admitiu que “não deixa de ser desagradável”, uma paragem juntos aos agentes de autoridade, já que “sempre” associamos a alguma penalização. “Mas esta pandemia também nos permite ver as autoridades mais como elementos de protecção do que propriamente de penalização”, confessou.


Também Andreia e Roberto Duarte, que vivem em Leiria e ontem tiveram que se deslocar a Vila Verde a trabalho, partilham da mesma opinião.
 

 “Como pessoas informadas já estávamos a contar com esta fiscalização/sensibilização ao longo da viagem”, confessou Andreia Duarte, garantindo que estavam prevenidos com a respectiva declaração profissional para conseguirem circular entre concelhos. “Temos que tomar precauções e os agentes estão a fazer o seu papel e o seu trabalho e temos que contribuir e acho que estamos a agir muito bem”, aplaudiu. Andreia Duarte foi mais longe: “faz todo o sentido esta medida do Governo para minimizar os efeitos da pandemia e a ver se conseguimos continuar a trabalhar e a reerguer as empresas, caso contrário, entramos todos em crise. É preciso haver bom senso de todos”.
 

 Logo de seguida, José Dias, que estava com o filho, não tinha declaração profissional e deslocou-se de Barcelos a Palmeira, no concelho de Braga.


“Tinha ideia que só não podíamos circular para fora do concelho no fim-de-semana, por isso, hoje aproveitei para vir a uma loja com o meu filho por causa dos óculos e acabei por ir à casa da minha mãe”, contou.


José Dias garantiu que não tem intenções de sair de casa no fim-de-semana, aliás rotina que tem mantido nos últimos tempos. “Na minha opinião, toda esta situação parte da responsabilidade de cada um, porque ainda estes dias vimos casos de muitas pessoas juntas e não aconteceu nada a ninguém”.
 

Serão dias de “bastante trabalho”
 

A operação de fiscalização e sensibilização da PSP em Braga, no âmbito das restrições à circulação entre concelhos para travar a epidemia de Covid-19, começou ontem e prolonga-se até segunda-feira em quatro pontos de acesso. “Serão dias de bastante trabalho para os nossos elementos policiais. Temos quatro pontos principais de entrada no concelho e vamos estar, por períodos diferentes, ao longo destes dias”, confirmou o comissário Fernando Rabaldinho.
 

A operação começou ontem na rotunda junto ao Nova Arcada, para fiscalizar quem vinha do lado de Vila Verde e também na rotunda junto ao E.Leclerc, para parar quem vinha do lado do concelho de Barcelos.
 

 “Os principais eixos de entrada são Vila Verde, Barcelos, Famalicão e Póvoa de Lanhoso e vamos estar nesses quatro pontos durante estes dias”, reforçou o comissário.


Durante a operação, os agentes começam por fazer uma fiscalização rodoviária, para perceber “se os condutores têm os veículos em condições para circular”, questionando de seguida a origem, a naturalidade e o destino. “Se for alguém em horário laboral ou que venha ou vá para o trabalho isso implica uma justificação da empresa ou cartão profissional”, alertou o comissário, garantindo que quem não estiver nessas condições “volta para trás”.


Durante a tarde de ontem, estava a decorrer “tudo dentro da normalidade”, mas Fernando Rabaldinho acredita que as circunstâncias se vão alterar ao longo do fim-de-semana, porque há pessoas que vão certamente tentar sair do concelho.
 

A acção está “muito bem” divulgada pelo Governo e pelas forças de segurança, por isso, durante a tarde de ontem, os agentes da PSP tiveram o trabalho facilitado. “As pessoas compreendem o nosso trabalho e nem questionam o porquê desta operação”, confidenciou o comissário. Fernando Rabaldinho referiu que nas “outras operações as pessoas perguntam de imediato o porquê e aqui já desconfiam qual é o objectivo”.


Muitos dos condutores “já vêm com as respectivas declarações das empresas na mão e dizem logo que estão a trabalhar”, confirmou.


Entretanto, pela experiência que os agentes têm, os veículos comerciais e de mercadorias já não são desviados para fazer a respectiva operação. “Compreendemos que é alguém que está a trabalho, já não perdemos muito tempo com esses viaturas, porque 99% desses carros estão efectivamente a trabalho”, referiu o comissário, admitindo estarem “mais preocupados” com as viaturas ligeiras de passageiros.


Ontem à tarde, durante a fiscalização na rotunda junto ao E.Leclerc surgiu uma ilegalidade, que deu azo a uma detenção, e a equipa da PSP recolheu ao comando.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho