Braga, sábado

Conselho Europeu está novamente interrompido em Bruxelas

Internacional

02 Julho 2019

Lusa

O Conselho Europeu foi novamente interrompido, após os 28 chefes de Estado e de Governo da União Europeia (UE) terem estado reunidos pouco mais de uma hora para debater as nomeações para os cargos de topo, confirmou fonte diplomática.

A mesma fonte indicou que a interrupção deverá durar uma hora.
 

Os trabalhos do Conselho Europeu tinham sido retomados cerca das 16:20 em Bruxelas (menos uma hora em Lisboa), depois do reinício da cimeira extraordinária ter sido sucessivamente adiado desde as 11:00 por estarem a decorrer encontros bilaterais e outras reuniões entre líderes europeus.
 

Na segunda-feira de manhã, e depois de uma longa e infrutífera maratona negocial, Donald Tusk anunciou a suspensão do Conselho Europeu perante a impossibilidade de chegar a um compromisso sobre as nomeações para os cargos de topo.
 

Os líderes dos 28 chegaram à cimeira europeia às 18:00 locais de domingo (menos uma hora de Lisboa) e estiveram reunidos, a 28 mas também em encontros bilaterais e várias rondas de consultas, durante 18 horas, antes que o político polaco reconhecesse o “fracasso” das negociações e agendasse o reinício da reunião extraordinária para as 11:00 de hoje.
 

Segundo vários diplomatas europeus, em cima da mesa estará uma proposta que inclui a alemã Ursula von der Leyen para a presidência da Comissão Europeia, o primeiro-ministro belga em funções, o liberal Charles Michel, para a presidência do Conselho Europeu, o ministro espanhol dos Negócios Estrangeiros, o socialista Josep Borrell, como Alto Representante da UE para a Política Externa e ainda a francesa Christine Lagarde para o Banco Central Europeu.
 

A presidência do Parlamento Europeu seria repartida entre o búlgaro Sergei Stanishev, atual líder do Partido Socialista Europeu, e o alemão Manfred Weber, que foi o candidato principal do Partido Popular Europeu (PPE) à presidência da Comissão Europeia.