Braga, quarta-feira

Correio do Minho respira dinamismo e projeta futuro com confiança

Regional

08 Julho 2021

Miguel Viana Miguel Viana

Diretor do jornal, Paulo Monteiro, lembrou na cerimónia comemorativa que a publicação está em processo de mudança, sempre com o objetivo de prestar um serviço de proximidade aos leitores e à comunidade

Assinalar 95 anos de vida do jornal Correio do Minho “é uma data com duplo significado. Um significado histórico de um jornal que, ao longo dos anos tem feito o seu trajecto, com bons e com maus momentos, mas sempre com o mesmo objectivo de cada vez chegar mais perto dos seus leitores”. As palavras são de Paulo Monteiro, director do jornal Correio do Minho, que assinalou 95 anos de vida na terça- -feira.

A história do jornal tem andado de mãos dadas com a história do país e da cidade de Braga, mas a mudança tem sido uma constante.

“O Correio do Minho não se esgota no jornal em papel, que chega diariamente a mais de 75 mil pessoas. O Correio do Minho não se esgota nas suas plataformas digitais, nas quase cinco mil pessoas que diariamente descarregam o PDF do jornal, ou nos milhares e milhares de leitores em todo o mundo, que lêem as notícias do jornal através do site ou das redes sociais. O Correio do Minho é muito mais do que isto”, disse Paulo Monteiro, director do jornal.

Integrado no grupo Arcada Nova, o jornal Correio do Minho parte para o 96.º aniversário com projectos de mudança em carteira.

“Este significado de mudança começou em plena pandemia, quando avancei na aventura de adquirir este grupo. Longe de imaginar que receberia o apoio de muitos amigos, de muitos colegas e da própria família. Foram palavras de incentivo e de coragem que me levaram a ir para a frente com este projecto”, lembrou Paulo Monteiro.

O director do Correio do Minho apontou ainda mais mudanças e apostas a concretizar um futuro próximo, só possiveis de aplicar com um grupo de trabalho forte e unido.

“O grupo Arcada Nova está a passar por uma profunda estruturação em todos os sentidos. Na sua equipa de trabalho, foi e será inevitável a alteração de profissionais. No nosso ADN está a confiança no trabalho e levar até todos, um excelente produto. Por isso, nesta casa o importante é constituir um grande grupo de trabalho, coeso, forte e unido”, apontou Paulo Monteiro.

O director do Correio do Minho incentivou o grupo de trabalho “a primar pela verdade” e a ter “sempre em atenção o contraditório. Não podemos nós, nem deve o leitor, confundir a esfera associativa e o trabalho em prol da causa comum, com questões ou batalhas políticas”.

No discurso comemorativo dos 95 anos do jornal ‘Correio do Minho’ lembrou que toda a equipa está empenhada em “fazer um jornalismo cada vez mais sério” para “levar até todos as notícias que quase ninguém dá. Um jornalismo de proximidade. Um jornalismo onde mostramos a realidade daquilo que está à nossa volta”.

O jornalismo de proximidade praticado pelo Correio do Minho consubstancia-se, por exemplo, nos suplementos especiais de freguesias de todo o Minho e do concelho de Braga.

“Aqui também começamos as nossas apostas, na imagem e no som. Todas as freguesias em que fizemos reportagens, desta cidade mostramos um QR Code, onde descarregávamos o video dessa mesma reportagem”, indicou Paulo Monteiro.

As imagens recolhidas nas freguesias de Braga vão poder ser vistas futuramente na ‘CMinho TV’ e o som pode ser ouvido na rádio Antena Minho.

Tudo em nome da proximidade a cada freguesia e a cada concelho do Minho e da Galiza (Espanha).

“A Euro-região também é uma das nossas grandes Apostas. Falamos de quase seis milhões de pessoas e estamos muito perto uns dos outros”, salientou o director do Correio do Minho.
Paulo Monteiro assegurou ainda que todos os órgãos que compõem o grupo Arcada Nova (jornal Correio do Minho, jornal Maria da Fonte, rádio Antena Minho, a CMinho TV e a Vértice) “irão lutar por fazer e levar os melhores produtos” até junto da população.

A sessão serviu, ainda, para o director do Correio do Minho agradecer a preferência diária dos leitores e ouvintes da rádio Antena Minho.

Oa patrocinadores também não foram esquecidos, porque “todos eles são os grandes alicerces desta casa, porque sem um bom produto, nós não conseguiriamos ter êxito e sem publicidade o projecto não consegue manter-se em pé”, declarou Paulo Monteiro.
 

Deixa o teu comentário