Braga, segunda-feira

Corrida de 5x1 km procura brinquedos para Natal de crianças carenciadas

Desporto

27 Novembro 2019

Redação

No próximo dia 7 de Dezembro, sábado, pelas 16 horas, vai ter lugar em Braga, na Avenida Central, o I Relay Solidário de Natal. Uma corrida de 5 km por estafetas para equipas de cinco elementos, cada um tendo a seu cargo um percurso individual de 1 km. Tem como custo de inscrição um brinquedo. O presente de Natal, embrulhado e com etiqueta a indicar a idade a que mais se aconselha, deve ser entregue no levantamento de dorsais, das 14 às 15.30 horas, no local de partida. Os brinquedos vão ser entregues a crianças carenciadas, sinalizadas por uma ou mais instituições.

Sameiro Araújo, a vereadora do Desporto na Câmara Municipal de Braga, que apoia aquele evento, Alan Osório, o ex-futebolista do SC Braga, que é padrinho da corrida, e Marlene Gomes, uma das organizadoras, comentaram ao Forum Desporto da Antena Minho e Correio do Minho o seu envolvimento nesta acção, que conjuga a prática desportiva com a solidariedade social.

Segundo Sameiro Araújo, este é um evento “com que eu me entusiasmei desde o início”. “Nós estávamos à procura de um modelo para antes do Natal e antes da Corrida de S. Silvestre dar palco aos mais novos e às famílias, porque correr 10 km não é para toda a gente, é quase para toda a gente”, explica.

Apontando como “óbvio que a uma criança de 7, 8, 9 ou 10 anos não é aconselhável correr 10 km. Também para os avós os 10 km pode ser demasiado”.

Então, acrescenta, “eu vi neste evento aquilo que eu estava a idealizar. É um evento para as famílias, pode vir o avô, o pai, a mãe e o filho. Antes do Natal, vem dar-nos uma prova com um cariz mais solidário, natalício, e alia-se a prática desportiva (não é aqui que estamos à procura do alto rendimento), à solidariedade, cada vez mais ligada ao desporto e, sobretudo, comemorar o Natal”.

“Este é também um evento que vem enriquecer a nossa programação para o Natal e dou parabéns aos promotores deste evento, porque vieram de encontro àquilo que eu andava à procura, para se celebrar o Natal em família”, adiantou.

Marlene Gomes, que promove com Stéphanie Sousa este Relay Solidário de Natal Braga, considerou “fundamental” o apoio do Município, explicando logo adiante que “por trás disto há trabalho na divulgação, ou criação de posters”, mas ainda o apoio logístico “que a Câmara nos oferece”.

Além desses, salientou os apoios dados pelos parceiros que oferecem prémios (ver texto à direita). Salientando que “nós não estamos a pedir dinheiro”, deu adiante destaque ênfase à intenção de se oferecer brinquedos angariados com as inscrições crianças desfavorecidas.

Lembrando limitações que se colocam ao percurso, porque a prova terá lugar na Avenida Central enquanto decorrem as festividades de Natal, esta responsável da organização frisou que nessa altura (dia 7 de Dezembro, sábado) as pessoas “andam na rua a fazer compras”.

Daí, explica, foi definido o limite de 100 equipas, envolvendo no máximo 500 pessoas em prova.

“Se conseguirmos juntar 100 equipas, conseguimos 100 brinquedos”, frisou, explicando que ainda não se divulgou a instituição à qual vão ser entregues os brinquedos porque “se arrecadarmos 20 brinquedos, conseguimos ajudar uma, mas se arrecadarmos 100 brinquedos nós vamos conseguir ajudar cinco ou seis instituições diferentes”.

Além disso, refere ainda a escolha de parceiros nesta corrida duas escolas, o Colégio D. Pedro V e o Externato Paulo VI, “porque se encontram no percurso da corrida”.

Porém, destaca que “nós convidámos as escolas todas a participar, porque a nossa ideia é trazer as crianças ao centro, promover o desporto num percurso curto e conseguirmos que cada equipa possa ter quatro adultos e, no mínimo, uma criança”.

Também realça que a distância pode “incluir avós”, pois 1 km é “um percurso fácil”. “Não tem que ir mesmo uma criança, mas isto é para crianças e se elas estiverem lá era óptimo”, comenta ainda, frisando que “se não trouxerem uma criança não é por isso que nós não vamos fazer a equipa”.

Alan Osório, que viveu como jogador momentos altos da equipa de futebol do SC Braga, prossegue a ligação ao clube em funções de representação e, com muita frequência, em provas de acção desportiva e social.

“Tenho que manter a forma, isso já vem desde criança. Espero que as crianças que vão estar no dia também façam isso, porque é bom para a saúde deles”, comentou.

Questionado sobre o que o levou a aceitar ser padrinho do Relay Solidário, Alan explicou que “tento estar em quase todas as causas que posso quando estou em Braga; essa é mais uma que abracei e espero abraçar muitas mais”.

Sobre se pensa participar, revela que “lá em casa somos quatro e o meu filho está com a namorada, vai ter que levar a namorada, para fazermos uma equipa de cinco elementos”.

Deixa o teu comentário