Braga, sexta-feira

Costa considera que confinamento começa a produzir resultados no país

Nacional

03 Fevereiro 2021

Redação

O primeiro-ministro considerou hoje que o confinamento decretado no âmbito do estado de emergência começa a produzir resultados no combate à covid-19 e agradeceu as ofertas de apoio a Portugal por parte de "parceiros europeus".

O primeiro-ministro considerou hoje que o confinamento decretado no âmbito do estado de emergência começa a produzir resultados no combate à covid-19 e agradeceu as ofertas de apoio a Portugal por parte de "parceiros europeus".

Estas posições foram transmitidas por António Costa através de mensagens que divulgou na sua conta pessoal na rede social Twitter.

"Com o extraordinário esforço dos nossos profissionais de saúde temos conseguido enfrentar a fase mais crítica da pandemia. O confinamento começa a produzir resultados e a vacinação vai criando imunidade", escreveu o primeiro-ministro.

Segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal registou hoje 240 mortes relacionadas com a covid-19 e 9.083 casos de infeção com o novo coronavírus, sendo este último número bem inferior ao registado na quarta-feira passada.

O boletim da DGS revela também que estão internadas 6.684 pessoas, menos 91 do que na terça-feira, das quais 877 em unidades de cuidados intensivos, mais 25.

Na mesma mensagem, o líder do executivo português agradeceu "todas as ofertas de apoio dos diversos parceiros europeus".

"Traduzem o valor da solidariedade e reforçam o sentimento de pertença à União Europeia. Dou as boas vindas à equipa alemã que acaba de chegar a Portugal", acrescentou.

A equipa clínica alemã, formada por 26 profissionais de saúde e que vem dar apoio ao sistema de saúde face à pressão provocada pela pandemia de covid-19, chega hoje a Portugal e vai trabalhar no Hospital da Luz, em Lisboa, confirmou à Lusa fonte do ministério da Saúde.

O processo de auxílio alemão a Portugal arrancou em 25 de janeiro, na sequência de um pedido de ajuda da ministra da Saúde, Marta Temido, à ministra da Defesa alemã, Annegret Kramp-Karrenbauer.

Deixa o teu comentário