Braga,

Covid-19: Brasil com 4.205 mortos e 61.888 casos desde início da pandemia

Internacional

26 Abril 2020

Redação

O Brasil contabilizou 189 mortos e 3.379 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, totalizando 4.205 óbitos e 61.888 casos da infeção desde o início da pandemia no país, anunciou hoje o executivo.

O Brasil contabilizou 189 mortos e 3.379 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, totalizando 4.205 óbitos e 61.888 casos da infeção desde o início da pandemia no país, anunciou hoje o executivo.

De acordo com o Ministério brasileiro da Saúde, o aumento no número de mortes foi de 4,7%, passando de 4.016 no sábado, para 4.205 hoje. Em relação ao número de infetados, o crescimento foi de 5,8%, de 58.509 para 61.888 para casos confirmados.

São Paulo continua a ser o estado brasileiro que concentra o maior número de casos, num total de 1.700 mortos e 20.715 casos de infeção, seguindo-se o Rio de Janeiro, com 645 vítimas mortais e 7.111 casos confirmados da covid-19.

Os outros estados que já ultrapassaram a barreira dos 300 óbitos em decorrência da covid-19 são Pernambuco (415), Ceará (327) e Amazonas (304).

Em todo o território, 14 das 27 unidades federativas do Brasil já têm mais de mil casos registados da doença: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Pará, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Ceará, Bahia, Maranhão, Amazonas e Distrito Federal.

A tutela da Saúde informou ainda que o Brasil registou, até à tarde de hoje, a recuperação de 30.152 pacientes infetados, sendo que 27.531 doentes continuam sob acompanhamento, frisando que estes números estão "sujeitos a revisão".

Ainda está a ser averiguada a eventual relação de 1.322 óbitos com o novo coronavírus.

O país sul-americano anunciou hoje que, após fornecedores internacionais terem cancelado a entrega de ventiladores, o Governo Federal encerrará abril com a cedência ao sistema público de saúde de 272 desses aparelhos produzidos no Brasil.

"Esses contratos assinados a partir de 07 de abril, garantem uma solução nacional diante da dificuldade mundial de aquisição do equipamento. Para se ter uma ideia, o Ministério da Saúde possuía uma compra de 15 mil respiradores produzidos na China, que precisou de ser cancelada pois o fornecedor não conseguiu os aparelhos", indicou o executivo.

Os ventiladores auxiliam pacientes que não conseguem respirar sozinhos e o seu uso é indicado nos casos graves de coronavírus, que apresentem dificuldades respiratórias.

Atualmente, o Brasil conta com 65.411 ventiladores, sendo que 46.663 estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).

Embora o Governo tenha firmado contratos com quatro empresas brasileiras para a fabricação de ventiladores, mais de 15 instituições estão envolvidas, entre "fabricantes, instituições financeiras, empresas de alta tecnologia, entre outras".

Os novos aparelhos serão distribuídos estrategicamente pelas regiões cuja rede hospitalar esteja mais sobrecarregada.

"Não adianta distribuir aleatoriamente os aparelhos para todos os estados. Isso deve ser feito conforme a demanda e também olhando para a capacidade da rede de saúde local expandir o seu serviço. Não podemos deixar que esses aparelhos fiquem subutilizados", explicou o ministro da Saúde, Nelson Teich.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 204 mil mortos e infetou mais de 2,9 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Perto de 800 mil doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho