Braga, quarta-feira

Covid-19: Espanha paralisa todas as atividades não essenciais a partir de segunda-feira

Internacional

28 Março 2020

Redação

O presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, anunciou hoje a paralisação de todas as atividades não essenciais no país, entre 30 de março e 09 de abril, medida que será aprovada no domingo, em Conselho de Ministros extraordinário.

O presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, anunciou hoje a paralisação de todas as atividades não essenciais no país, entre 30 de março e 09 de abril, medida que será aprovada no domingo, em Conselho de Ministros extraordinário.

Pedro Sánchez justificou esta "medida excecional" com a necessidade de "intensificar a luta contra a propagação do coronavírus" no país e avançou que os espanhóis têm pela frente "dias muito duros".

Numa intervenção na Moncloa, sede do Governo espanhol, o chefe do executivo adiantou que esta "medida excecional" implica que todos os trabalhadores de atividades não essenciais "devem ficar em casa a partir de segunda-feira", em "licença remunerada", recebendo o respetivo salário "com normalidade".

Quando terminar a pausa forçada, os trabalhadores terão de compensar, de "forma paulatina", este período de inatividade, explicou o chefe do Governo espanhol.

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 832 mortos com o novo coronavírus, o maior número de vítimas mortais num só dia, elevando o balanço total para 5.690, de acordo com a última atualização das autoridades sanitárias.

Os números do Ministério da Saúde espanhol revelam ainda um aumento de 8.189 no número de infetados.

Desde o início da pandemia, o país registou um total de 72.248 casos de covid-19, dos quais 5.690 morreram e 9.375 tiveram alta e são considerados como curados.

Na totalidade do país estão ou estiveram hospitalizadas 40.630 pessoas e dessas 4.575 estão ou já estiveram em unidades de cuidados intensivos.

A região com mais casos positivos de covid-19 é a de Madrid, capital, com 21.520 infetados e 2.757 mortos, seguida pela da Catalunha (14.263 e 1.070) e a do País Basco (5.236 e 221), embora haja registos de mais falecidos com a pandemia em Castela-Mancha (448) e Castela e Leão (321).

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 600 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 28.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho