Braga, terça-feira

Covid-19: Líder do Gil Vicente confia que jogará em Barcelos na retoma da I Liga

Desporto

16 Maio 2020

Redação

O presidente do Gil Vicente manifestou na sexta-feira convicção de que o Estádio Cidade de Barcelos estará habilitado para receber os cinco jogos caseiros dos minhotos quando a I Liga de futebol retomar no início de junho.

O presidente do Gil Vicente manifestou na sexta-feira convicção de que o Estádio Cidade de Barcelos estará habilitado para receber os cinco jogos caseiros dos minhotos quando a I Liga de futebol retomar no início de junho.

“Acredito que vamos jogar em casa, mas as instituições sabem que o Gil Vicente procurou desde a primeira hora estar sempre do lado da solução e nunca do problema. É assumido pelos técnicos que temos ótimas condições, mas se decidirem escolher apenas os estádios do Euro2004, jogaremos em Braga, no Porto ou em Lisboa”, assumiu Francisco Dias da Silva, numa conversa promovida pelos barcelenses nas redes sociais.

A Direção-Geral da Saúde recomendou que os encontros que faltam cumprir do campeonato sejam realizados “no menor número possível de estádios”, dando preferência aos recintos considerados de nível 1 pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), cujos requisitos são cumpridos pelo Estádio Cidade de Barcelos.

“Estamos perante uma situação tão complicada e grave que as decisões não são fáceis, exceto para quem não tem qualquer responsabilidade, critica tudo e todos e nunca nada está bem. Se determinarem que o Gil Vicente jogue as 10 jornadas que faltam em qualquer sítio que for indicado, não iremos levantar problemas”, prosseguiu.

O Santa Clara e o Belenenses já anunciaram que vão disputar os jogos que restam como visitado na Cidade do Futebol, em Oeiras, enquanto o Famalicão, cujo recinto está alocado no patamar 3 da LPFP, confirmou na quarta-feira à agência Lusa um acordo com a direção de Francisco Dias da Silva para a utilização do Estádio Cidade de Barcelos.

Com a entrada do país em situação de calamidade em 03 de maio, após três períodos consecutivos em estado de emergência, desde 19 de março, o plantel do Gil Vicente voltou a pisar o relvado de forma individualizada no dia seguinte, quase um mês e meio após a suspensão da I Liga, que deve ser reatada à porta fechada a partir de 04 de junho.

O Gil Vicente deve avançar para os treinos coletivos na próxima semana, após os 45 membros da estrutura terem acusado negativo na segunda bateria de testes realizada na véspera ao novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, incluindo o presidente Francisco Dias da Silva, que se mostrou disponível para exercer um segundo mandato consecutivo à frente do Gil Vicente e encarar um “desafio difícil”.

No plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, o Governo autorizou a realização à porta fechada dos 90 jogos do campeonato, que é liderado pelo FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica, e da final da Taça de Portugal, entre ‘dragões’ e ‘águias’, tendo excluído a continuidade da II Liga.

Os campeonatos de futebol de França e dos Países Baixos foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso gradual à competição com fortes restrições, como sucede na Alemanha, Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 304 mil mortos e infetou perto de 4,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.190 pessoas das 28.583 confirmadas como infetadas, e há 3.328 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho