Braga, sexta-feira

Covid-19: Presidente chinês Xi Jinping diz que vírus está praticamente contido

Internacional

10 Março 2020

Lusa

O Presidente da China, Xi Jinping, deu hoje o surto do Covid-19 no país como "praticamente contido", durante uma visita surpresa a Wuhan, cidade chinesa de onde a doença é originária e sob quarentena desde janeiro passado.

Os primeiros resultados apontam para uma estabilização da situação e a reversão da tendência em Wuhan e Hubei [província chinesa da qual Wuhan é capital]", disse hoje Xi, citado pela imprensa oficial.
 

Várias cidades em Hubei estão desde janeiro passado em quarentena, com entradas e saída bloqueadas, numa medida que afeta quase 60 milhões de pessoas.
 

A chegada de Xi Jinping ocorre após o anúncio do ministério chinês da Saúde, de que o número de novos casos caiu para 19, o valor mais baixo desde que a contagem diária começou a ser feita a nível nacional.
 

A queda, desde os milhares de novos casos reportados diariamente em fevereiro, significa que as drásticas medidas de controlo produziram resultados.
 

Com uma máscara cirúrgica no rosto, Xi chegou esta manhã a Wuhan, onde reuniu com moradores de um bairro local que permanecem em quarentena nas suas casas e visitou o Hospital Huoshenshan para "inspecionar o trabalho de prevenção e controlo da epidemia", segundo a agência noticiosa oficial Xinhua.
 

O Presidente chinês também visitou os pacientes que estão a ser tratados naquele hospital e enviou saudações aos trabalhadores médicos, incentivando-os a "reafirmar a confiança" na derrota do surto, detalhou a agência.
 

Situada no centro da China, a província de Hubei concentra a maioria dos casos e mortes devido ao Covid-19 registados a nível mundial: 67.760 pessoas infetadas e 3.024 mortes.
 

O novo coronavírus surgiu em dezembro passado, em Wuhan, antes de se espalhar por todo o país e além-fronteiras.
 

Mais de 114.000 pessoas foram infetadas em todo o mundo, entre as quais 4.012 morreram, a grande maioria na China.
 

A propagação da doença provocou forte descontentamento popular no país asiático, sobretudo depois de revelações de que as autoridades silenciaram denunciantes e ocultaram informações cruciais, facilitando o alastramento do surto.
 

Depois de ter desaparecido da imprensa oficial durante o pico da crise, Xi Jinping voltou a ser destaque no noticiário da televisão estatal, como o líder da "guerra popular" contra o surto.
 

No final de janeiro passado, quando o país registava milhares de novos casos por dia, foi o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, a dar a cara no combate ao surto, tendo inclusive visitado Wuhan.
 

As falhas iniciais foram, entretanto, atribuídas a funcionários municipais e provinciais, posteriormente afastados.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho