Braga, segunda-feira

Covid-19: Viana do Castelo disponibiliza até 200 camas para tirar infetados de lares

Regional

12 Abril 2020

Redação

O presidente da Câmara de Viana do Castelo disponibilizou hoje as 200 camas da unidade de retaguarda instalada na maior sala de espetáculos do Alto Minho para receber idosos infetados com covid-19, evitando a sua permanência em lares.

O presidente da Câmara de Viana do Castelo disponibilizou hoje as 200 camas da unidade de retaguarda instalada na maior sala de espetáculos do Alto Minho para receber idosos infetados com covid-19, evitando a sua permanência em lares.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o socialista José Maria Costa explicou que aquela decisão vem dar resposta "às preocupações expressas pela União das Misericórdias do Alto Minho".

No sábado, a União das Misericórdias de Viana do Castelo manifestou a sua discordância com as orientações da Direção-Geral da Saúde sobre a manutenção de idosos com teste positivo nos lares e defendeu uma área distrital para o efeito.

Em comunicado, o Secretariado Regional da União das Misericórdias de Viana do Castelo, liderada por Alípio de Matos, alega que "não é aceitável querer impor a Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) o acolhimento de pessoas com teste de covid-19 positivo", uma vez que não reúnem condições técnicas, humanas e de proteção.

Hoje, o presidente da capital do Alto Minho explicou que a unidade de retaguarda instalada no centro cultural de Viana do Castelo, na frente ribeirinha da cidade, "está pronta para ser utilizada a favor da população do Alto Minho, desde o dia 02 de abril, aguardando apenas que a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) providencie a sua ativação, dotando a mesma de uma equipa de profissionais de saúde e auxiliares necessários".

"Esta unidade de retaguarda tem disponíveis 120 camas, podendo evoluir até 200 camas, dispondo ainda de espaços de apoio médico, balneários, casas de banho para profissionais de saúde, sala para profissionais de saúde, sala de estar e espaços para tratamentos, rampas acessíveis e circuitos diferenciados para reduzir possibilidades de contágios", especificou.

A ULSAM é constituída por dois hospitais: o de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e o Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima. Integra ainda 12 centros de saúde, uma unidade de saúde pública e duas de convalescença, e serve uma população residente superior a 244 mil pessoas, contando com 2.500 profissionais, entre os quais 501 médicos e 892 enfermeiros.

Na nota do Secretariado Regional da União das Misericórdias de Viana do Castelo, subscrita pelas 10 Santas Casas da Misericórdia do distrito de Viana do Castelo, é também sublinhado que os utentes das ERPI estão "numa situação de risco acrescido de maior disseminação da infeção".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 107 mil mortos e infetou mais de 1,7 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Em Portugal, segundo o balanço feito no sábado pela Direção-Geral da Saúde, há registo de registam-se 470 mortos e 15.987 casos de infeção confirmados.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho