Braga, quinta-feira

Diane Reeves dá início a 31.ª edição de Guimarães Jazz

Diversos

10 Novembro 2022

Lusa

O Guimarães Jazz regressa, a partir de hoje, ao Centro Cultural Vila Flor (CCVF), na cidade que lhe dá nome, para uma 31.ª edição que vai contar com nomes nacionais e internacionais como Dianne Reeves, Hamid Drake ou a Sonoscopia.

O arranque do festival dá-se hoje, com a cantora Dianne Reeves, vencedora de cinco Grammys e de múltiplas outras distinções, que atua acompanhada por Edward Simon, Romero Lubambo, Reuben Rogers e Terreon Gully.
 

Para sexta-feira, o saxofonista Archie Shepp foi substituído pelo quarteto da contrabaixista Linda May Han Oh, que regressa a Guimarães para uma terceira atuação, depois de 2012 e 2021, com o quinteto de Joe Lovano e em trio com Vijay Iyer e Tyshawn Sorey, respetivamente.
 

No sábado, o Guimarães Jazz recebe o trio de Benjamin Koppel e do seu pai, Anders Koppel, com Kristoffer Sonne, no pequeno auditório do CCVF, enquanto Hamid Drake homenageia Alice Coltrane no palco do grande auditório da sala vimaranense.
 

“A homenagem de Hamid Drake à música de Alice Coltrane, consubstanciada em sessões mágicas como as captadas no álbum ‘Journey in Satchidananda’ ou ‘Universal Conscience’, envolve um ensemble instrumentalmente invulgar e eclético composto por músicos europeus e norte-americanos, expandido pelo contributo performático da dançarina Ndoho Ange”, pode ler-se na descrição do projeto.
 

No domingo, a ‘Big Band’ da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo atua, dirigida por Victor Garcia, com entrada gratuita, enquanto no Centro Internacional das Artes José de Guimarães é apresentado o projeto “matriz_motriz”, do guitarrista Mané Fernandes.
 

O 31.º Guimarães Jazz vai incluir ainda atuações da Sonoscopia (dia 16 de novembro), do projeto THEMANUS (dia 15) ou a reinterpretação do disco “Ibéria”, de Manuel de Oliveira, com Jorge Pardo e Carles Benavent, para além da Orquestra de Guimarães, no dia 17.
 

No dia 18 de novembro, o David Murray Octet Revival apresenta-se no palco do grande auditório do CCVF, enquanto o festival encerra, no dia 19, com “Jazz in the Space Age”, um concerto em que a Orquestra Jazz de Matosinhos, com Ethan Iverson e David Virelles, “prestará homenagem, interpretando-o, [ao] álbum homónimo de George Russell, um compositor e teórico musical que muitos críticos consideram ser uma das mais influentes personalidades do jazz moderno”.

Deixa o teu comentário