Braga, sexta-feira

Dinamização cultural com 395 mil euros

Regional

08 Fevereiro 2021

Redação

Município de Braga vai formalizar parcerias institucionais com 30 entidades culturais do concelho que representam as mais variadas expressões artísticas. Em causa estão apoios de quase 400 mil euros.

O Município de Braga vai formalizar parcerias institucionais com 30 entidades culturais do concelho, que operam em diferentes expressões artísticas, num investimento que ascende aos 395 mil euros. O primeiro grupo de propostas é votado hoje, em reunião de câmara, sendo as restantes propostas submetidas na reunião agendada para o dia 22.

Numa iniciativa que dá “continuidade às sinergias construídas nos últimos anos”, como explica em comunicado, a autarquia pretende, para além do desenvolvimento dos agentes e entidades de índole cultural, a promoção de programas de descentralização cultural e a dinamização do Plano de Actividades do Pelouro da Cultura, no qual já se encontram inseridas muitas das acções previstas na Estratégia Cultural Braga 2030.

A vereadora da Cultura, citada no comunicado, refere que “a manutenção, e até reforço, destas parcerias é uma forma de sublimar os constrangimentos provocados pela situação pandé- mica” e de “motivar os nossos agentes culturais a manterem a sua actividade”.

“Apesar da situação difícil que vivemos, a Cultura vai continuar a acontecer”, realça Lídia Dias, congratulando-se pelo “exercício de um caminho que tem sido partilhado com as diversas entidades bracarenses cuja missão é a Cultura”.

Nestes protocolos, a música é a área mais representada, com parcerias com: Orfeão de Braga, Origem Tradicional, Canto d’Aqui, Orquestra de Cordas Dedilhadas, Orquestra de Cordofones Tradicionais, Fado com Arte, Sinfonietta, Projetarte na Tradição, Banda de Cabreiros e de Braga.

De âmbito musical, embora mais na área da investigação em musicologia, está o protocolo com a Suonart, que desenvolve desde 2016 o projecto ‘Património Musical do Concelho de Braga’.

Também as entidades culturais universitárias são contempladas, concretamente o Coro Académico da Universidade do Minho, Associação Recreativa e Cultural da Universidade do Minho, o grupo Fados e Serenatas da Universidade do Minho, a Azeituna e a Gatuna.

Já na área do teatro incluem-se a Companhia de Teatro de Braga, a Academia de Teatro TinBra e a Nova Comédia Bracarense.

Na dança está presente com a Escola Ent’artes.

A Filosofia está representada com a Nova Acrópole.

A Associação Social e Cultural de Sobreposta também está incluída, conciliando na sua actividade a música e o teatro.

O cinema está representado com o Cineclube Aurélio da Paz dos Reis e com a Lucky Star, enquanto a PAVAC irá desenvolver um serviço educativo na área da fotografia.

No âmbito do património e etnografia contam-se a Equipa Espiral e a Associação Ida e Volta.

Na área das Media Arts surge a cooperativa AUAUFEIOMAU, responsável pela organização do Festival Semibreve, que detém a maior dotação entre as entidades protocoladas.

Há ainda duas parcerias referentes à dinamização de espaços municipais: a Cidade Curiosa, que dinamiza a Ludoteca da Estufa no Parque da Ponte, e a Mala d’Arte, com a responsabilidade da Biblioteca de Jardim e do Centro de Criação e Experimentação instalado na antiga escola primária de S. Pedro de Oliveira.

Deixa o teu comentário