Braga, sexta-feira

Domingos Paciência eleito treinador da equipa do centenário do SC Braga

Desporto

31 Março 2021

Miguel Machado

O treinador do século para os adeptos esteve ligado a duas das maiores épocas dos 100 de História do SC Braga, conduzindo a equipa ao inédito 2.º lugar do campeonato em 2009/10, à estreia na Liga dos Campeões e final da Liga Europa, em 2010/11.

Um líder que ficou no coração dos adeptos e na história do SC Braga. Domingos Paciência foi o treinador mais votado pelos associados do clube bracarense para liderar o (melhor) onze imaginário do século dos Guerreiros do Minho, numa iniciativa que decorreu nas últimas semanas no âmbito das comemorações do Centenário.

Domingos Paciência esteve duas épocas no SC Braga, entre 2009/10 e 2010/11, e nas duas conduziu a equipa a feitos ainda hoje verdadeiramente assinaláveis. Na primeira temporada, com 41 anos, Domingos levou os Guerreiros à melhor classificação de sempre na I Liga, o segundo lugar do campeonato, um feito inédito que abriu caminho à estreia do clube na Liga dos Campeões. Na segunda época, o SC Braga ficou em quarto no campeonato, e fez duplamente história nas provas europeias. Primeiro, a equipa brilhou na Champions, ultrapassando as pré-eliminatórias e apurando-se pela primeira vez para a fase de grupos onde fez 9 pontos, terminou em 3.º lugar e transitou para a Liga Europa, tendo chegado à final de Dublin, em 2011, na Irlanda, naquela que foi até agora a primeira final europeia.

Feliz pelo reconhecimento, Domingos Paciência reagiu num vídeo publicado no Facebook.

“Os meus parabéns ao Braga pelos 100 anos de história, um clube que continua a crescer, e que está a afirmar-se cada vez mais no futebol português e internacional. Desfrutem desta data, pois realmente só se podem orgulhar do clube que têm, pela marca que tem feito. Gostaria de agradecer a todos os adeptos que votaram em mim para ser treinador do século, sei que não foi uma escolha fácil porque o SC Braga ao longo destes anos tem tido grandes treinadores, que têm feito bons trabalhos. Para mim é um orgulho fazer parte da história deste clube e por terem-se lembrado de mim para este Centenário. É verdade que não ganhei títulos, mas houve duas páginas bonitas para o historial do clube que me orgulho de ter contribuído. Até um dia destes, numa gala que o grande presidente António Salvador irá certamente realizar e que terei gosto estar presente”, afirmou o treinador agora com 52 anos.

Deixa o teu comentário