Braga, sábado

Economia, Gestão e Finanças serão os primeiros com nova acreditação

Economia

13 Julho 2019

Redação

As licenciaturas em Economia e Gestão e mestrado em Finanças da Universidade do Minho acabam de ser reconhecidos com a acreditação EPAS - a mais completa do mundo nestas áreas.

As licenciaturas em Economia e em Gestão e o mestrado em Finanças da Universidade do Minho acabam de ser reconhecidos com a acreditação EPAS, a mais completa do mundo nestas áreas. A distinção foi atribuída pela Rede para o Desenvolvimento da Gestão - The Management Development Network (EFMD), que junta 900 escolas de negócios em 88 países do planeta. Aqueles três cursos vão ser os primeiros em Portugal com a distinção ‘EFMD Accredited’ ao nível Bachelor (licenciatura) e Master (mestrado), que entra em vigor em Agosto. Na prática, já respeitam o novo sistema internacional de acreditação da qualidade da EFMD, que unifica e reavalia os cursos superiores presenciais e online na área.


Esta certificação é globalmente reconhecida por academias, estudantes, empresas e mass media. A distinção daqueles cursos da Escola de Economia e Gestão (EEG) da UMinho é, por isso, “um excelente resultado e coloca esta Escola entre as melhores do mundo”, refere o seu presidente, Francisco Veiga. “Este é um marco importante na formação em Economia e Gestão em Portugal”, realça. A afirmação da EEG passa agora pela melhoria contínua do seu ensino, investigação e interação com as empresas e a sociedade, pelo alargamento de parcerias com universidades estrangeiras, pela maior captação de alunos de outros países e por acreditações internacionais para mais cursos e para a EEG no seu todo.


Na UMinho, o júri de avaliação da EPAS (significa EFMD Programme Assessment System) elogiou o posicionamento e as marcas distintivas da EEG, como a forte ligação às empresas, as oportunidades de contacto dos estudantes com a realidade prática (estágios, resolução de casos, projetos comuns), a participação em concursos e iniciativas internacionais ou a criação do programa ‘EEGenerating Skills’, que inclui palestras com CEOs e antigos alunos, cursos de dados e, entre outros, work-shops de competências transversais e de empregabilidade, como trabalho em equipa, mediação de conflitos, gestão de emoções e comunicação em público.


Foi ainda destacada a experiência positiva de aprendizagem dos alunos, seja nos métodos de ensino, nas competências analíticas e na proximidade com os docentes, que são 100% doutorados (sobretudo no estrangeiro) e aliam investigação de excelência. No caso do mestrado em Finanças, leccionado apenas em inglês, valorizou-se também o selo do CFA Institute, uma associação global de profissionais de investimento, e as condições de pesquisa, incluindo o acesso a software e bases de dados financeiras e bibliográficas. “Tudo isto se traduz em bons níveis de empregabilidade nestes cursos e na colocação dos nossos graduados em posições de destaque a nível nacional e internacional”, vinca Francisco Veiga.
 

A acreditação EPAS envolve uma análise profunda dos cursos, através da comparação e do benchmarking em vertentes como o posicionamento nos mercados nacional e internacional, o ambiente institucional, a estrutura curricular, as metas e métodos de aprendizagem, os docentes, a qualidade dos alunos, os resultados e impactos, a ligação ao meio empresarial e os processos de garantia da qualidade. Além disso, enfatiza-se o rigor académico, a relevância prática, a internacionalização, a ética e a sustentabilidade. Até aqui, uma escola de gestão certificada pela EFMD (a acreditação EQUIS) tinha os seus cursos automaticamente acreditados. Porém, a partir de Agosto, mesmo as escolas EQUIS terão que submeter os seus cursos a avaliação para obter a distinção ‘EFMD Accredited’.