Braga, sexta-feira

Empresários partilham visões no Forum Braga

Regional

01 Fevereiro 2020

Redação

COLABORAR para Crescer é o mote da conferência a promover pelo BNI Norte Litoral, em Braga, com o objectivo de que os empresários partilhem contactos para potenciar negócios.

Braga assume-se, hoje, como o 6.º concelho mais exportador do país e serve de ponto de encontro para os empresários da região do Norte Litoral trocarem ideias, partilharem experiências e, sobretudo, estenderem a mão à colaboração. Sob o mote ‘Colaborar para Crescer’, a IV Conferência BNI Norte Litoral realiza-se na próxima sexta-feira, ao longo de todo o dia, com vários momentos de networking e palestras que prometem ajudar os empresários a ir mais além.

Como desenvolver e fazer crescer o seu negócio, empreendedorismo, economia digital, as questões de protocolo e etiqueta são alguns dos temas que vão ser abordados durante esta conferência.
Na apresentação do evento, ontem, no Hotel Meliã, Ricardo Anselmo, director executivo do BNI Norte Litoral, destacou os trabalhos que têm sido levados a cabo no seio do grupo BNI NL Best de Braga, que reúne à sexta-feira, frisando o apoio que os empresários encontram na cidade de Braga tanto pela via da Associação Comercial de Braga, como da Câmara Municipal de Braga e da InvestBraga - Agência para Dinamização Económica de Braga. “O objectivo desta IV Conferência BNI Norte Litoral é ajudar os empresários e empreendedores que estão a pensar criar empresas e queiram desenvolver a sua actividade empresarial e nesse sentido esta iniciativa servirá para que os empresá- rios locais e regionais se conheçam e, acima de tudo, encontrem parcerias e estabeleçam sinergias”, apontou Ricardo Anselmo. O objectivo é só um: “a prosperidade nos negócios”.

Gil Carvalho, da InvestBraga, referiu que este género de iniciativas que promovam o encontro e a partilha entre empresários é crucial para ajudar cada um a “ganhar dimensão”. O presidente da ACB, Domingos Macedo Barbosa, diz que a associação quer ser um parceiro tanto para as pequenas como para as grandes empresas, até porque, na sequência da dissolução da Associação Industrial do Minho, a ACB mudou os seus estatutos precisamente para integrar no seu seio as empresas industriais que, indicou, “também precisam de uma voz e de representação institucional”.

Deixa o teu comentário