Braga, segunda-feira

Equilibrium Social Circus quer ser resposta social

Diversos

10 Maio 2021

Lusa

Porto Social Summit contou com a participação do projecto Equilibrium Social Circus. Alargar a todas as escolas e chegar às associações é o objectivo.

O “reconhecimento” do trabalho realizado pelo projecto Equilibrium Social Circus, promovido pelo Projecto Homem, chegou com a participação na Campanha ‘Fazer Acontecer a Europa Social’, que integrou a Cimeira Social, que terminou este sábado no Porto. Com o co-financiamento do projecto a terminar, a meta agora é chegar a todas as escolas e associações. “Temos a possibilidade de transformar o projecto numa resposta social definitiva e a longo prazo”, anunciou a coordenadora do projecto, Sara Leite.
 

A participação do projecto na Cimeira Social contou com a apresentação de um vídeo e uma exposição de fotografias e a coordenadora mostrou-se “entusiasmada” com o “feedback muito positivo” que o projecto recebeu do Portugal Inovação Social. “Para nós, estar presente nesta Cimeira Social, teve este impacto muito positivo de reconhecimento do nosso trabalho”, confidenciou a coordenadora do projecto, assumindo a importância do Equilibrium Social Circus ficar associado “ao surgimento deste novo pilar da Europa - direitos sociais - tendo sido assinada a Declaração do Porto, que assenta precisamente em tudo aquilo que são os objectivos do projecto, desde os direitos das crianças e dos jovens, passando pela promoção da igualdade ou a inclusão social”.
 

 Já a preparar o próximo ano lectivo, Sara Leite evidenciou o facto do financiamento do projecto terminar no final do ano, sendo que o objectivo é continuar o Equilibrium Social Circus, transformando-o em resposta social. “O nosso objectivo último é encontrar soluções para transformar o projecto em resposta, porque queremos que continue a estar integrado nas escolas e nas associações”, assegurou.
 

Com o objectivo de chegar a todas as escolas, a coordenadora do projecto já entrou em contacto com o Agrupamento de Escolas de Maximinos, nomeadamente com a EB2,3 Frei Caetano Brandão, para avançar com o projecto. “Queremos alargar o projecto a outras escolas onde não estamos e estamos já a fazer alguns contactos, esperando que a situação esteja mais calma em Setembro”, referiu.


Implementado na Associação Nacional para o Estudo e Intervenção na Sobredotação (ANEIS), o projecto pretende chegar também a outras associações do concelho. “Não temos obrigatoriamente que funcionar só em contexto escolar, podemos trabalhar em todas as associações onde o nosso público-alvo esteja”, confirmou ainda a coordenadora.

Deixa o teu comentário