Braga, terça-feira

Espanha regista mais 126 mortes e 12.662 novos casos de covid-19

Internacional

24 Dezembro 2020

Redação

O Ministério espanhol da Saúde registou hoje 12.662 novos casos de covid-19, elevando o número total para 1.854.951, com mais 126 mortes nas últimas 24 horas.

O Ministério espanhol da Saúde registou hoje 12.662 novos casos de covid-19, elevando o número total para 1.854.951, com mais 126 mortes nas últimas 24 horas.

De acordo com os dados do ministério, o número de mortes desde o início da pandemia chegou a 49.824.

A incidência acumulada nos últimos 14 dias aumentou ligeiramente para 262,79 por 100.000 habitantes, em comparação com 253,74 na quarta-feira

Atualmente estão 10.744 pessoas internadas nos hospitais espanhóis devido à covid-19, quase menos 500 do que na quarta-feira, e a ocupação hospitalar de infetados pelo novo coronavírus passou hoje para 8,8%, depois de na quarta-feira ter sido de 9,24%.

Por regiões, o maior número de infeções foi registadas nas Ilhas Baleares, com 474 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, quase mais 20 do que na quarta-feira.

Seguem-se Madrid e a Comunidade Valenciana, com 376, e a Estremadura, que passou de 337 na quarta-feira, para 371 nas últimas 24 horas.

A maior pressão hospitalar nos cuidados intensivos sente-se na província de La Rioja, com 30%, seguida de perto pela Catalunha, com 29,3%, e Castela e Leão, com 26,7%.

Do total de casos diagnosticados nos últimos 14 dias (123.582), 49.260 apresentaram sintomas, o que indica que mais da metade dos pacientes são assintomáticos.

As comunidades autónomas relataram 1.020 surtos com 7.445 casos desde 17 de dezembro, o que representa cerca de 10% de todos os casos notificados.

Esta semana, foram registados 80 surtos em centros de saúde, com 1.212 casos. Destes, 65 surtos, com 1.137 casos, ocorreram em lares de idosos.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.731.936 mortos resultantes de mais de 78,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Deixa o teu comentário