Braga, sábado

Estudo sobre as festas nicolinas foi entregue a quatro instituições

Regional

10 Dezembro 2020

Redação

Encerramento das Festas Nicolinas ficou, este ano, marcado pela entrega do estudo antropológico realizado sobre esta tradição vimaranense a quatro instituições nicolinas.

O estudo antropológico das Festas Nicolinas revela a vivência das festas de estudantes de Guimarães e constitui mais uma etapa do trabalho que está a ser realizado no âmbito da candidatura das Festas Nicolinas a Património Cultural Imaterial da UNESCO. 

O encerramento das Festas Nicolinas 2020, este ano vividas de forma diferente devido ao contexto pandémico, ficou marcado pela oferta do livro sobre o estudo antropológico das festas a quatro instituições nicolinas.

A entrega simbólica foi feita pelo presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança que, juntamente com a vereadora da Cultura, Adelina Pinto, e com o presidente da Assembleia Municipal, José João Torrinha, visitou a Irmandade de São Nicolau, à Associação dos Antigos Estudantes do Liceu de Guimarães (AAELG), à Associação de Comissões de Festas Nicolinas (ACFN) e à Comissão de Festas Nicolinas 2020.

O estudo foi elaborado por Jean-Yves Durand, investigador e docente na Universidade do Minho, com a participação de António Amaro das Neves, Rui Faria, Hugo Castro e Clara Saraiva e realça o fervor comunitário e uma manifestação vimaranense com mais de 300 anos, em honra de São Nicolau.

“Estamos a realizar um trabalho participativo e colectivo, com a envolvência das nossas pessoas e das nossas instituições nicolinas. Todos os vimaranenses estão envolvidos nas Festas Nicolinas e, quando assim é, nada consegue travar uma maior notoriedade e vivência das festas dos estudantes de Guimarães, uma das mais antigas do País que representam uma das expressões maiores do património cultural imaterial vimaranense”, defende Domingos Bragança.

Este ano, parte do programa das Festas Nicolinas teve que ser adaptado devido aos condicionamento impostos pela pandemia e pelo estado de emergência.

Deixa o teu comentário