Braga, quinta-feira

Falta de funcionários ameaça fins-de-semana no Mosteiro de Tibães

Regional

03 Novembro 2020

Redação

O cenário foi traçado pelo coordenador do Mosteiro de Tibães. Se nos próximos dois a três anos, não houver renovação de funcionários, o Mosteiro de S. Martinho de Tibães poderá ter de encerrar no Verão e fins-de-semana.

O Mosteiro de S. Martinho de Tibães vive ‘no fio da navalha’, com o quadro reduzido de funcionários que “torna muito difícil cumprir com o projecto de trabalho e a manutenção diária do edifício”. O alerta deixado ontem pelo coordenador do Mosteiro de Tibães, Paulo Oliveira, no final do encontro com a deputada do Bloco de Esquerda eleita pelo círculo de Braga, Alexandra Vieira, que visitou o Mosteiro de S. Martinho de Tibães para tomar conhecimento das dificuldades da instituição.

Paulo Oliveira disse aos jornalistas que “numa década, o Mosteiro perdeu metade dos funcionários Na primeira década do ano 2000, eram mais de 20 e hoje estamos 10 pessoas”, com a agravante que a “grande maioria têm mais de 55 anos e as pessoas vão-se aposentando”.

O coordenador do Mosteiro de Tibães, deixa, por isso, um alerta ao Governo, “se, dentro de dois a três anos, não houver renovação geracional de funcionários, o Mosteiro de São Martinho de Tibães poderá ter de fechar aos fins-de-semana e no período de férias”.

Um cenário que Paulo Oliveira “espera que não irá acontecer”, acreditando que “as entidades responsáveis estarão atentas e não irão deixar que isso aconteça”.

Para o coordenador do Mosteiro de Tibães, “um quadro de 20 funcionários seria uma meta interessante para o funcionamento de todas as valências”, lembrando que, actualmente, “o serviço educativo funciona apenas com um funcionário”.

O “subfinanciamento” foi outro dos assuntos que esteve em cima da mesa do encontro com a deputada do BE. Neste ponto, Paulo Oliveira disse “que vai havendo financiamento”, apontando “as próximas obras na Capela de S. Bento e nos muros. Vamos tentando que o mosteiro esteja aberto com as condições mínimas de segurança e de fruição do espaço”.

A deputada Alexandra Vieira, que integra a Comissão de Cultura e Comunicação, anotou “as problemáticas que o mosteiro vive”, garantindo que o garante que o partido vai “desenhar iniciativas legislativas, nomeadamente projectos-lei e projectos de recomendação, que visem dar respostas às problemáticas identificadas”.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho