Braga, segunda-feira

Falta luz verde da Segurança Social para dar mais respostas a seniores

Regional

05 Janeiro 2020

Redação

Centro de Apoio e Estimulação a Seniores e seus Cuidadores aguarda acordo de cooperação com a Segurança Social. Câmara Municipal de Braga cedeu, entretanto, a antiga EB1 do Bairro Nogueira da Silva à Cruz Vermelha para avançar com projecto.

Porque “não há respostas adequadas”, a delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa quer avançar com o Centro de Apoio e Estimulação a Seniores e seus Cuidadores. No mês passado, a Câmara Municipal de Braga já cedeu, por contrato de comodato superior a 20 anos, as insatalações da EB1 do Bairro Nogueira da Silva, mas o projecto continua à espera de ‘luz verde’ da Segurança Social.

A delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa apresentou, pelo segundo ano consecutivo, o projecto ao Programa de Celebração ou Alargamento de Acordos de Cooperação para o Desenvolvimento de Respostas Sociais (Procoop) da Segurança Social. “Se não tivermos a aprovação do Procoop nem o financiamento do Programa de Alargamento da Rede de Equipa- mentos Sociais (PARES) para as obras necessárias nas instalações cedidas pela autarquia (ver caixa ao lado) não conseguimos avançar com esta resposta”, apelou David Rodrigues, adjunto executivo da instituição garantindo que é “uma resposta muito necessária”. E o responsável foi peremptório: “as demências estão a atingir cada vez mais pessoas e carecemos de respostas”. Mesmo com o avanço do projecto, que atenderá 40 utentes, David Rodrigues lamenta que as respostas “vão continuar insuficientes”.

Entretanto, a Cruz Vermelha já abriu o Complexo de Neurointervenção em Gaia e a delegação de Braga quer “aproveitar as sinergias que possam surgir daí para dar apoio ao nível local”, referiu o adjunto executivo, querendo que a delegação de Braga ser um “player a nível nacional”.

Além disso, David Rodrigues acredita que a localização do Centro de Apoio e Estimulação a Seniores e seus Cuidadores, perto do Centro de Acolhimento Temporário da Cruz Vermelha, só trará benefícios e sinergias, nomeadamente ao nível de refeições e limpeza.

O projecto foi apresentado com quatro valências: centro de formação, centro de dia, serviço de apoio domiciliário especializado, para trabalhar na óptica das demências e estimulação, e centro de apoio ao cuidador e à comunidade, com o objectivo de criar grupos de apoio ao cuidador e à comunidade.

Paula Rodrigues, que está à frente do projecto, explicou a delegação já apresentou este projecto, pelo segundo ano consecutivo. O aviso abriu em Novembro passado e termina no final do próximo mês de Novem- bro, estando em período de análise. Estamos à aguardar a resposta”, referiu a responsável.

Se não for possível conciliar as duas oportunidades, o acordo de colaboração e o financiamento, “torna-se difícil concretizar este projecto”, lamentou.

Deixa o teu comentário