Braga, sexta-feira

Festival de circo contemporâneo anima quatro cidades do Minho em julho

Regional

17 Junho 2021

Lusa

As cidades de Barcelos, Braga, Guimarães e Famalicão vão acolher, de 19 a 24 de julho, o festival internacional Internacional de circo contemporâneo Vaudeville Rendez-Vous, com um total de 13 espetáculos diferentes, foi hoje anunciado.

As cidades de Barcelos, Braga, Guimarães e Famalicão vão acolher, de 19 a 24 de julho, o festival internacional Internacional de circo contemporâneo Vaudeville Rendez-Vous, com um total de 13 espetáculos diferentes, foi hoje anunciado.

Segundo Bruno Martins, do Teatro da Didascália, que responde pela organização, dois daqueles 13 espetáculos são estreias absolutas, e cinco são estreias nacionais.

“É um desafio muito grande colocar de pé um festival deste género em quatro cidades ao mesmo tempo, com as dificuldades acrescidas decorrentes da pandemia”, referiu, na conferência de imprensa de apresentação do evento, que decorreu em Barcelos.

O responsável sublinhou que, entre artistas, produtores e técnicos, o festival assegura “150 postos de trabalho diretos”.

“Quando o festival não se realiza, como aconteceu em 2020, isso faz mossa em muita gente”, referiu.

Bruno Martins acrescentou que o festival, que vai para a 7.ª edição, está orçado em cerca de 200 mil euros, “entrando” cada um dos quatro municípios com 40 mil euros, um montante também disponibilizado pela Direção-Geral das Artes.

Aos 13 espetáculos, com 26 apresentações de entrada gratuita, somam-se diversas atividades de mediação, que contemplam quatro oficinas de criação dirigidas a todos os públicos, duas 'masterclasses' orientadas para profissionais das artes, uma oficina dirigida a malabaristas e 'skaters' e uma sessão de “diálogo direto” entre criadores e programadores.

A edição deste ano fica, ainda, marcada pela apresentação pública do projeto europeu de cooperação Circuslink, desenvolvido pela Archaos (Bienal de Circo de Marselha, França), Festival Dynamo (Dinamarca), Letni Letna (República Checa) e Teatro da Didascália (Portugal).

Este projeto materializa o trabalho de internacionalização que o Vaudeville Rendez-Vous tem realizado ao longo dos últimos dois anos.

Neste âmbito, o festival vai acolher a estreia absoluta de "Váld", da companhia sueca Right Way Down, e o espetáculo "Otus", da companhia portuguesa Oliveira & Bachtler, que irá circular internacionalmente.

O Vaudeville Rendez-Vous é um festival internacional focado na programação de circo contemporâneo e formas transdisciplinares para o espaço público.

Ao longo das várias edições, o evento tem vindo a apostar em propostas artísticas que apontam para a descoberta de novas formas, reinventando os padrões estéticos e técnicos habitualmente associados ao circo.

Para a edição de 2021, o festival distingue Étienne Tribu com uma bolsa de criação, que resultou no espetáculo Là-bas, uma coprodução que terá estreia nacional no evento.

Todas as atividades do festival decorrerão ao ar livre, mas, na edição deste ano, será necessário reservar os bilhetes, de forma a controlar as entradas e a lotação, “que será bastante mais reduzida”.

A outra estreia absoluta é “Do you still want to dance with me?”, pelas 'mãos' do INAC – Instituto Nacional de Artes do Circo, em coprodução com o festival.

Entre as estreias em território nacional, contam-se cinco espetáculos de origem francesa e espanhola, entre os quais “Là-bas”, pela Compagnie Troubles Champêtres, e “Random”, que junta o francês Joel Martí e o espanhol Pablo Molina.

Há ainda “Baïna[na]”, pelo coletivo francês G. Bistaki, “Wake up!”, por Contentin Diana e Leonardo Ferreira, e “Pulse”, por “Cia Kiaï”, de França.

A programação do Vaudeville fica completa com “Roll with it”, “3D”, “Copyleft”, “Otus”, “Rizoma” e “Espera”, seis espetáculos apresentados por companhias e artistas com várias influências, nomeadamente nacional, espanhola, inglesa, francesa e norte-americana.

Os espetáculos terão lugar no Parque da Devesa (Famalicão), espaço exterior do Museu D. Diogo de Sousa (Braga), jardim do Paço dos Duques (Guimarães) e na praça fronteira ao tribunal (Barcelos).

Deixa o teu comentário