Forjães SC é o novo campeão distrital

Desporto

28 Junho 2021

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Esposendenses fizeram valer a vantagem da primeira mão para festejar a conquista do título e o consequente regresso, muitos anos depois, aos campeonatos nacionais. Joane lutou muito, sobretudo na segunda parte, e manteve a incerteza até ao final.

O Forjães Sport Clube está de volta aos campeonatos nacionais, depois de se ter sagrado campeão distrital da Associação de Futebol de Braga, superando na final, a duas mãos, a equipa do Grupo Desportivo de Joane. Na primeira mão, em Joane, os esposendenses haviam ganho por 2-1 e ontem, em casa, no jogo de todas as decisões, uma igualdade a uma bola foi suficiente para fazer eclodir os festejos das várias centenas de adeptos que marcaram presença no Estádio Horácio Queirós.

Depois de uns primeiros minutos algo ‘agarrados’, nos quais as duas equipas aproveitaram para se estudarem mutuamente, o Joane pareceu querer tomar as rédeas da partida, face à desvantagem que registava no marcador.

O primeiro sinal de perigo, ainda que tímido, acabou por sair do pé esquerdo de Fabinho, que obrigou Vasco a mostrar atenção numa fase em que o Forjães parecia mais estabilizado na partida. Talvez fruto dessa maior conexão, os visitados chegaram mesmo ao golo, por intermédio de Moreira, à passagem dos vinte minutos, depois de uma assistência de Miguel, à qual Moreira deu o melhor seguimento com um remate colocado, de fora da grande área.

Não sentiu o toque a equipa do Joane, que de imediato dispôs de uma bela oportunidade, por Vítor Hugo, que na cara de Vasco não conseguiu levar a melhor sobre o guardião do Forjães.
No segundo tempo, mais satisfeito com o resultado, o Forjães baixou linhas e partiu para a gestão do resultado, sem deixar de espreitar o espaço livre nas costas da defesa famalicense.

O Joane, por outro lado, ganhou ascendente e foi assumindo maior domínio, relegando o Forjães para o seu meio-campo defensivo e acumulando oportunidades de golo, sempre à boleia de Rashid, perigosíssimo nas diagonais a partir da esquerda, com espaço para explorar.

O golo do empate, contudo, surgiu do lado contrário, numa incursão de Rui Pedro, que cruzou e contou com o desvio inadvertido de Nuno Ramos para a própria baliza. Mais um golo do Joane e haveria direito a prolongamento. Emoção até ao fim, várias oportunidades para a reviravolta e polémica em dois momentos na área do Forjães, que soube sofrer para ser feliz.

Deixa o teu comentário