Braga, quinta-feira

Governo confia que Norte não se atrasará na imunidade de grupo

Nacional

24 Fevereiro 2021

Lusa

O secretário de Estado Coordenador da Situação de Calamidade na Região Norte, Eduardo Pinheiro manifestou-se hoje confiante de que a região acompanhará o resto do país a atingir a imunidade de grupo contra a covid-19.

O secretário de Estado Coordenador da Situação de Calamidade na Região Norte, Eduardo Pinheiro manifestou-se hoje confiante de que a região acompanhará o resto do país a atingir a imunidade de grupo contra a covid-19.

“Estamos sempre a falar de previsões, é um trabalho de perspetiva. Portanto, só depois teremos essa garantia, mas não vejo razão para ser diferente”, disse Eduardo Pinheiro, no final da visita ao centro de vacinação instalado no Pavilhão Multiusos de Gondomar, em que foi acompanhado pelo presidente da câmara e responsável pela Proteção Civil Distrital, Marco Martins.

Para o governante o objetivo pode ser alcançado se for “cumprido tudo o que está previsto em termos de vacinação”, pois do “ponto de vista logístico não há razão alguma para que se falhe”, acrescendo o facto de hoje em dia a população estar “muito recetiva à vacinação”.

O coordenador da ‘taskforce’ de vacinação contra a covid-19, Gouveia e Melo, antecipou na terça-feira um possível aumento do ritmo de inoculações para 100 mil por dia e sublinhou que a imunidade de grupo (70% da população) pode ser alcançada em agosto.

Eduardo Pinheiro pronunciou-se também sobre outra possibilidade hoje levantada por Gouveia e Melo, que manifestou a sua abertura para a elaboração de um novo plano de vacinação, fruto das alterações na disponibilidade de vacinas ao longo dos próximos meses.

“Em toda a pandemia houve a tomada de posições e nunca fugimos delas. E continuará a haver. Se tivermos que adaptar, adaptaremos em função das necessidades. O objetivo é chegar rapidamente a todos com a vacina. O que tivermos de fazer para isso faremos”, comentou o secretário de Estado.

Elogiando Gondomar como “um dos bons exemplos de cooperação entre as autoridades de saúde e a autarquia”, Eduardo Pinheiro acrescentou que, na região Norte “a vacinação está a acontecer de forma generalizada, cumprindo o que vai estando previsto, pois a programação é feita conforme as vacinas disponíveis”.

“Esta é a região mais populosa do país e a distribuição das vacinas acompanha essa proporção da população. Não devemos ter nenhum tipo de competição entre regiões. Interessa, sim é que consigamos fazer o nosso trabalho bem, de forma célere, e chegar ao resto da população, para que no final todos tenham tido a sua vacina”, concluiu.

Marco Martins acrescentou que no pavilhão estão a ser “vacinadas cerca de quatro mil pessoas por dia” e que a equipa do ACeS [Agrupamentos de Centros de Saúde] já administrou mais de 5.500 vacinas”.

O autarca salientou ainda que no recinto desportivo já foram vacinados “os profissionais de saúde do ACeS de Gondomar, 50% dos bombeiros das corporações do concelho, os operacionais da GNR, PSP e Cruz Vermelha e pessoas com mais 50 anos com comorbilidades associadas”.

“A partir da próxima semana vai começar também a vacinação nas unidades de saúde para quem tem 50 e 75 anos e para as pessoas mais dispersas pelo concelho para que até ao final do março todas estas pessoas estejam vacinadas”, disse.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.486.116 mortos no mundo, resultantes de mais de 112 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.136 pessoas dos 800.586 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Deixa o teu comentário