Governo dá prioridade a residência universitária na Fábrica Confiança

Regional

17 Julho 2021

José Paulo Silva José Paulo Silva

Ministro do Ensino Superior apoia entendimento entre a Universidade do Minho e a Câmara Municipal de Braga para a construção de uma nova residência universitária.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior deu ontem prioridade ao projecto de residência universitária no edifício e terrenos da antiga Fábrica Confiança, considerando que o mesmo é dos “mais importantes” no que diz respeito ao reforço da oferta de alojamento estudantil.


“No Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) há uma linha de cerca de 400 milhões de euros para apoiar as residências de estudantes e estou certo que este projecto deve ser um dos mais importantes, porque a zona de Braga e Guimarães é onde há mais necessidade de alojamento”, declarou Manuel Heitor, à margem da visita ao Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA).
 

 Após o insucesso de duas hastas públicas para a venda da Fábrica Confiança, a Câmara Municipal de Braga acordou recentemente com a reitoria da Universidade do Minho uma candidatura ao PRR, tendo em vista a obtenção de financiamento para a instalação no imóvel da Rua Nova de Santa Cruz de uma residência universitária com cerca de 600 quartos.


“O que se quer são quartos a preços regulados para todos os estudantes”, disse ontem o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, ao lado do presidente da Câmara Municipal, Ricardo Rio, o qual esclareceu que o entendimento com a Universidade do Minho pressupõe a construção de um novo edifício ao lado das desactivadas instalações da Fábrica Confiança, seguindo o pedido de informação prévia (PIP) apresentado à Direcção Regional de Cultura do Norte e pela Comissão Nacional de Cultura.
 

 “O edifício está classificado, mas foi aprovado um PIP que enquadra a construção prevista, que inicialmente seria alienada a privados. A alienação não se concretizou, o projecto foi desenvolvido pela Câmara Municipal de acordo com esse PIP. Não há condicionantes, embora o projecto tenha de voltar a ser apreciado pelas entidades competentes”, esclareceu ontem o presidente da Câmara Municipal.


O ministro Mamuel Heitor referiu que estão a ser contactadas empresas do Minho que possam aportar inovação industrial aos novos projectos de residências universitárias. “Queremos trazer empresas que possam usar este mercado emergente das residências de estudantes na construção modelar”, precisou.

Deixa o teu comentário