Braga,

Histórico dérbi da cidade de Braga teve de tudo... menos golos

Desporto

17 Novembro 2019

Redação

Foi com um nulo que Maximinense e Alegrienses presentearam os muitos adeptos que assistiram à partida. A emoção e as oportunidades não faltaram. O que não esteve em dia foi o acerto a finalizar.

Frente-a-frente, primeiro e décimo quarto classificados da série A da I Divisão da AF Braga, naquele que é já um dérbi histórico da cidade de Braga, dada a rivalidade existente entre as duas equipas.


Dentro do campo - e já agora também nas bancadas - isso foi bem perceptível, sendo que um jogo destes, disputado a um ritmo electrizante, que teve inúmeras oportunidades numa e noutra baliza, com total entrega por parte dos atletas das duas equipas, merecia bem mais do que um 0-0 no marcador.
 

Curiosamente, ambas as equipas chegavam a esta partida depois de uma derrota por 3-1 na Taça AF Braga (o Maximinense perdera com o Gonça, já o Alegrienses fora derrotado pelo Sandinenses). Por se encontrar numa zona complicada da tabela até foi a equipa visitante quem assumiu as rédeas do encontro no primeiro tempo, conseguindo várias aproximações à baliza nas quais faltou sempre o mais importante: acerto na hora de atirar para o golo.


O Maximinense (que perdeu a liderança nesta jornada para o Carreira), disposto a voltar aos triunfos, corrigiu algumas situações ao intervalo e conseguiu maior domínio no segundo tempo, dispondo até da melhor situação em todo o jogo, quando Joca, num ponta pé-de-canto, atirou de cabeça à trave da baliza de Ricardo Maia, que ainda viu a sua equipa falhar a hipótese de matar o jogo no fim.

Deixa o teu comentário