Braga, sexta-feira

Investimento de mais de 670 mil euros para apoiar empresas de 85 concelhos do Norte

Economia

19 Julho 2021

Lusa

O projeto EMERN-Q Qualificação de Micro e Pequenos Negócios, com um investimento global de mais de 670 mil euros, vai apoiar empresas de 85 concelhos do Norte a melhorar a sua competitividade, foi hoje divulgado.

O projeto EMERN-Q – Qualificação de Micro e Pequenos Negócios, que vai abranger municípios do distrito de Viana do Castelo, Porto e Bragança, vai ser apresentado na quinta-feira, às 14:00, no auditório da Associação para o Centro de Incubação de Base Tecnológica do Minho (ACIBTM) da IN.CUBO Incubadora de Iniciativas Empresarias Inovadoras, em Arcos de Valdevez.
 

Em nota hoje enviada à agência Lusa, os promotores explicaram que “o EMERN-Q é cofinanciado pelo Programa Operacional Regional Norte 2020 e está dividido em dois territórios, alta densidade e baixa densidade”.
 

Nos territórios de baixa densidade “é a IN.CUBO que lidera a parceria”, com um investimento de 416.272 euros na qualificação de empresas.
 

A IN.CUBO, situada na freguesia de Guilhadeses, em Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo, foi criada em 2007.
 

Aquela incubadora de iniciativas empresariais é participada pela Câmara de Arcos de Valdevez, pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e pela ACIBTM.
 

Já nas regiões de alta densidade “é o Instituto Empresarial do Tâmega a promover o projeto que tem um orçamento de 372.492 euros”.
 

A parceria “junta ainda sete Associações de Desenvolvimento Local (ADL), a ADRIMINHO, DESTEQUE, CORANE, DOURO SUPERIOR, ADERSOUSA, ADRITEM e ADRIMAG e uma entidade de ensino superior, o Instituto Politécnico de Bragança".
 

O projeto EMERN-Q – Qualificação de Micro e Pequenos Negócios “vem dar seguimento ao EMER-N – Empreendedorismo em Meio Rural na Região Norte, lançado em 2016, que tinha como objetivo apoiar empreendedores e empresários a constituir ou transformar o seu negócio”.
 

Aquela primeira iniciativa, também financiada por fundos comunitários, envolveu “mais de 1.000 empresas e empreendedores de 85 municípios do Norte de Portugal, superando as expectativas e os objetivos então previstos”.
 

“Com um investimento total de dois milhões de euros, permitiu criar 267 novas empresas, apoiar outras 328 já existentes, contribuindo para criar 428 postos de trabalho e proporcionando um volume de negócios de 31 milhões de euros”, realça a nota.
 

Segundo as entidades promotoras, o lançamento do EMERN-Q é justificado com “as dificuldades que muitas destas empresas estão a enfrentar, em consequência da crise sanitária e económica, provocada pela Covid-19”.
 

“Esta segunda etapa do projeto visa qualificar as empresas então apoiadas no EMER-N, bem como todas as micro, pequenas e médias empresas da região Norte e empresários em nome individual, para melhor enfrentar e superar a atual situação. Qualificar é, nesta fase, a palavra de ordem”, acrescenta.
 

Para os promotores das novas ações, “é necessário apoiar os empresários nas áreas da gestão, torná-los mais competitivos, apostar em novos e diferenciados produtos e serviços, contribuir para a criação de mecanismos de apoio à comercialização e à promoção”.
 

“A troca de experiências e conhecimentos também é valorizada nesta fase do projeto, capaz de gerar estratégias empresariais que permitam melhorar os resultados económicas das empresas envolvidas”.
 

A sessão de apresentação do novo projeto, na quinta-feira, vai decorrer de forma presencial para alguns intervenientes e ‘online’, através da página de oficial do EMERN-Q no Facebook.

Deixa o teu comentário