Braga, quarta-feira

Investimento municipal nas freguesias ronda os 45 milhões de euros

Regional

11 Janeiro 2021

Redação

Desde 2017 até à actualidade, a Câmara já investiu 45 milhões de euros em projectos infra-estruturais nas freguesias e uniões de freguesia. Ricardo Rio diz que é um volume de investimento considerável e que vai aumentar nos próximos meses.

Está perto dos 45 milhões de euros o investimento que a Câmara de Braga realizou nas freguesias e uniões de freguesia do concelho no actual mandato. Desde 2017 até à actualidade foram investidos 44.946.237 euros em mais de meio milhar de projectos nas freguesias.

Este volume de investimento está discriminado no Mapa de Investimentos por Freguesia 2017-2021, referindo-se apenas a investimentos infra-estruturais, não incluindo verbas atinentes a acordos de execução de delegação de competências, apoios a actividades imateriais e outros projectos e a contratos de arrendamento (como as verbas que pagas pela Piscina de Tebosa ou a sede da Junta de S. Lázaro e S. João de Souto).

“O mandato ainda não está no final, temos ainda largos meses pela frente, e o que salta logo à vista é o volume de investimento considerável em projectos de diversa natureza”, refere Ricardo Rio, em declarações ao Correio do Minho.

O presidente da Câmara de Braga realça ainda que, da leitura do documento, “é visível a preocupação em reabilitar os equipamentos e dotá-los de melhores condições para servir as populações, mais do que concretizar obras de raiz ou com preocupações estéticas”.

É também perceptível, na leitura do Mapa, que há assimetrias nos investimentos por freguesia ou união de freguesia, “mas quando se olha para esses valores é preciso ter em conta as diferentes circunstâncias” de cada autarquia local, concretamente “o ponto de partida” em cada freguesia se encontrava há sete anos atrás, quando a Coligação ‘Juntos por Braga’ chegou ao poder, “assim como o estado de desenvolvimento de alguns projectos” - explica o edil.

Ricardo Rio defende que a Câmara “tem a preocupação de promover o desenvolvimento harmonioso do concelho, tendo em conta as necessidades das populações” e que há alguns freguesias carecem de mais equipamentos do que outras.

O Mapa de Investimentos por Freguesia 2017-2021 foi pedido pelos vereadores do Partido Socialista ao presidente da Câmara. Da leitura do documento, Rio considera que fica provado que “ao contrário do que acontecia antigamente, não há discriminação de natureza político-partidária” nos investimentos realizados. “Todas as autarquias são tratadas da mesma forma, independentemente da cor política do seu presidente”, sustenta.

Os valores apresentados no referido Mapa referem-se a contratos interadministrativos de delegação e apoios financeiros cuja execução é da respectiva junta de freguesia e valores relativos a intervenções realizadas directamente pela Câmara Municipal.

O Mapa referencia todas as situações onde formalmente já existe uma delegação ou atribuição de apoio, bem como empreitadas em contratação e compromissos já assumidos financeiramente, por exemplo processos que serão analisados numa próxima reunião de Câmara Municipal.

À medida que novas obras entrem em processo de contratação, serão adicionadas a esta relação, nomeadamente as intervenções na Rua Costa Gomes, em Real, e na Recta de Ruães, em Mire de Tibães, que entram em concurso público até ao final do mês. “Só no caso da Rua Costa Gomes estamos a falar num investimento superior a meio milhão de euros”, avança Ricardo Rio.

O presidente aponta ainda que “estes projectos não têm em vista ciclos eleitorais, pois muitos deles, com a tramitação necessária para a sua concretização, vão estar concluídos muito para lá do mês das eleições autárquicas”.

Nas anotações ao documento, é ainda realçado que relativamente às quatro Juntas de Freguesia da cidade não está na lista o valor estimado de 400.000 por ano para diversas pequenas intervenções (águas pluviais, passeios, vias, etc.) que são efectuadas pela Câmara Municipal.

É ainda de realçar que no Mapa não estão incluídos investimentos em equipamentos de cariz municipal como o Fórum Braga, Parque Desportivo da Rodovia, a Pousada da Juventude, o Mercado Municipal - Praça, Piscina e Ténis da Rodovia, entre outras obras.

UF Nogueira, Fraião e Lamaçães lidera lista

A UF de Nogueira, Fraião e Lamaçães é a autarquia que até agora absorve maior fatia de investimento, mais de 5,2 milhões de euros.

Seguem-se São Victor, com 4,9 milhões de euros em investimentos; a UF de Maximinos Sé e Cividade com 3,3 milhões; a UF de Real, Dume e Semelhe com 2,9 milhões; e a UF de São Lázaro e São João do Souto, com 2,2 milhões de euros .

Do lado oposto, Tebosa, é a freguesia que até agora teve menor investimento: 83 mil euros.

Uma análise mais detalha do Mapa de Investimentos por Freguesia 2017-2021 permite perceber todos os investimentos realizados, e são mais de 500, e os montantes envolvidos.

Em Adaúde foram investidos 944.339 euros, destacando-se como o maior investimento a repavimentação da Rua 25 de Abril (310.468 euros).

A UF de Arentim e Cunha absorveu 503.174 mil euros, sendo a requalificação da Rua da Caínha a obra mais cara - 141.480 euros.

Para a UF de Celerós, Avelada e Vimieiro saíram dos cofres municipais 528.483 euros. A obra que envolveu maior investimento foi a Rua 13 de Maio, com 138.361 euros.

A Praia Fluvial do Cavadinho, com um investimento de 463.538 mil euros, é a obra de maior envergadura financeira na UF de Crespos e Pousada que, no global, absorve o 1.374.189.

Já a UF de Escudeiros e Penso (Sto. Estêvão e S. Vicente) teve até agora investimentos no montante de 1.661.242 euros, destacando-se o multiusos de Escudeiros com 525.648 euros.

A Rua de Santo António, com um investimento de 157.446 euros, é a obra de maior envergadura de Espinho, que até agora contou com 183.072 euros investidos.

Em Esporões, destaca-se a obra do Centro Escolar, que custou 873.136 euros, dos 1.334.426 euros investidos na freguesia.

Em Este (S. Pedro e S. Mamede), a requalificação da EB 1 de S. Pedro é a obra de maior envergadura financeira (1.345. 891 euros) num pacote de investimentos de 1.715.890 euros.

A UF de Ferreiros e Gondizalves regista 374.756 euros de investimentos. O mais caro é o arranjo urbanístico do adro de Gondizalves (132.648 euros).

Figueiredo absorve 2.069.277 euros, sendo a maior parte para a requalificação da Escola EB1, concretamente 1.904.588 euros.

Para Gualtar foram canalizados 457.129 euros, com os trabalhos complementares na Escola Básica de Gualtar a absorver a fatia maior: 157.097 euros.

A intervenção no parque desportivo de Guisande, uma obra de 268.146 euros, é o investimento mais significativo na UF de Guisande e Oliveira S. Pedro, que absorve um total de 567.146 euros.

Para Lamas foram até agora canalizados 327.578 euros, destacando-se a requalificação da piscina com 207.536 euros.

A UF de Lomar e Arcos foi alvo de investimentos na ordem dos 897.051 euros, destacando-se o prolongamento da Rua 25 de Abril, em Lomar, que custou 693.643 euros.

A UF de Maximinos Sé e Cividade arrecadou 3.318.711 euros de investimento, destacando-se a requalificação da Escola Secundária de Maximinos que representa 2.677.202 euros.

A UF de Merelim S. Pedro e Frossos vê investidos 2.239.834 euros, destacando-se a variante do Cávado e regularização do rio Torto com 1.747.933 euros.

Na UF de Merelim S. Paio, Panoias e Frossos foram investidos 244.170 euros, dos quais 179.908 euros no parque desportivo de Merelim S. Paio.

A aquisição do edifício da sede da junta (230 mil euros) é o investimento mais volumoso de um total de 322.530 euros em Mire de Tibães.

Na UF de Morreira e Trandeiras foram investidos 163.723 euros, sendo o investimento de maior volume os ‘extras’ na Poça da Bácora (36.138 euros).

A UF de Nogueira, Fraião e Lamães conta 5.260.844 euros de investimento destacando-se a requalificação da EB1 de Nogueira: 2.328.468 euros.

Na UF de Nogueiró e Tenões, o investimento é de 1.477.408 euros, dos quais 822.971 na variante da Encosta.

A pavimentação do parque industrial (706.292 euros) é a obra mais significativa em Padim da Graça que conta com um total de 1.029.434 euros investidos.

A requalificação ambiental e urbana da margem esquerda do rio Cávado (351.765 euros) é a obra que absorve a maior fatia dos 1.113.158 euros investidos em Palmeira.

Já em Pedralva estão investidos 409.307 euros, com a requalificação da Av. Grumeira a custar 313.437 euros.

Em Priscos, a obra que mais verba absorveu, dos 186.654 euros canalizados para esta freguesia, foi a ampliação e remodelação do cemitério, um investi- mento de 63.373 euros.

Na UF de Real Dume e Semelhe, onde foram investidos, 2.910.381 euros, a verba mais significativa diz respeito à Zona 30: 697.411 euros.

Em Ruílhe destaca-se a obra da casa mortuária e zona envolvente, um investimento de 158.839 euros, do total de 913.339 euros investidos na localidade.

Em São Vicente, na cidade, estão investidos 1.399.051 euros, destacando-se o investimento na Zona 30 geral, de 697.411 euros. Note-se ainda o investimento na zona 30 da Quinta da Fonte , que foi de 573.509 euros.

Em São Victor, o investimento ascende aos 4.963.223 euros, destacando-se aqui também as intervenções nas Zonas 30: Zona 30 geral (1.394.823 euros), Zona 30 Makro (540.866) e Zona 30 Torre Europa (537.605). Nota ainda para a requalificação da Av. Pe. Júlio Fragata, já adjudicada, por 741.874 euros.

A UF de S. Lázaro e S. João do Souto beneficiou de 2.239.901 euros, destacando-se a intervenção na Av. Dr. Francisco Pires Gonçalves: 528.914 euros.

O investimento de 478.653 euros na Praia Fluvial de Navarra é a intervenção mais significativa do total de 738.335 euros investidos na UF de Santa Lucrécia de Algeriz e Navarra.

Em Sequeira foram investidos 420.338 euros, dos quais 225.304 na requalificação da Escola EB 1.

Em Sobreposta foram aplicados 801.097 euros, dos quais 249.619 em obras na piscina.

Tadim conta 497.821 euros de investimento. Destaca-se o auditório da junta com 354.137.

A reconstrução da mina e aproveitamento de água na Rua do Calvário é a obra mais dinheiro absorveu em Tebosa: 31.069 euros, dos 83.400 investidos.

Na UF de Vilaça e Fradelos regitam-se 357.119 euros de investimentos. O maior é o alargamento da Rua da Igreja, em Fradelos, com 247.550 euros.

Deixa o teu comentário