Braga, sexta-feira

Joana Matos Frias conquista Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho da APE

Diversos

25 Julho 2019

Redação

A escritora Joana Matos Frias conquistou o Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, com o livro O Murmúrio das Imagens, anunciou hoje a Associação Portuguesa de Escritores (APE).

A escritora Joana Matos Frias conquistou o Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, com o livro “O Murmúrio das Imagens”, anunciou hoje a Associação Portuguesa de Escritores (APE).

O júri, composto pelos professores e ensaístas Cândido Oliveira Martins, Isabel Cristina Rodrigues e José Carlos Seabra Pereira, destaca “a solidez e clareza da fundamentação teórica aduzida sobre um tema tão complexo”, que é a relação multisecular entre a imagem e poesia, lê-se no comunicado.

“Esta fundamentação está, posteriormente, canalizada para a (a todos os níveis) notável leitura crítica da obra poética de Ruy Cinatti”, autor citado na dissertação “Retórica da Imagem e Poética Imagista na Poesia de Ruy Cinatti", apresentada pela escritora em 2006, acrescenta.

Joana Matos Frias vai receber, em data a anunciar, um prémio no valor de 7.500 euros, atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores, com o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

O Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, instituído pela APE, destina-se a galardoar, anualmente, uma obra de ensaio literário, escrita em português por um autor português, publicada em livro, em primeira edição.

“O Murmúrio das Imagens”, publicado em março, em dois volumes, pela editora Afrontamento, consiste num “estudo que visa apresentar uma ponderada reconstituição teórica desse complexo vínculo entre Poesia e Imagem”, pode ler-se na sinopse do livro.

Através do cruzamento dos domínios elementares da retórica, da poética e da estética, este livro propõe “uma reflexão transdisciplinar que não se escusa mesmo a uma certa indisciplinaridade”, lê-se no mesmo texto.

Joana Matos Frias, professora auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, tem publicado ensaios no campo da estética comparada, privilegiando as correlações entre a poesia, a pintura, a fotografia e o cinema.

Em 2001, venceu o Prémio de Ensaio Murilo Mendes, no Brasil, com o livro “O Erro de Hamlet: Poesia e Dialética em Murilo Mendes”, sobre o poeta do modernismo brasileiro, que se fixou em Lisboa, onde morreu em 1975.

A escritora é, ainda, autora de “Localização Dinâmica”, publicado em 2010, da coletânea de ensaios “Repto, Rapto”, de 2014, e de “Cinefilia e Cinefobia no Modernismo Português”, de 2015.

Joana Matos Frias pertence à Sociedade Portuguesa de Retórica e ao Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, e integra, como investigadora, a rede internacional LyraCompoetics.