Braga, quinta-feira

Jorge Braz diz que seleção lusa vai jogar sem facilitar frente à Noruega

Desporto

11 Abril 2021

Lusa

Portugal vai jogar sem facilitar frente à Noruega, afirmou hoje o selecionador português de futsal, Jorge Braz, na antevisão ao embate com a seleção nórdica, na segunda-feira, de qualificação para o Euro2022.

Portugal vai jogar “sem facilitar” frente à Noruega, afirmou hoje o selecionador português de futsal, Jorge Braz, na antevisão ao embate com a seleção nórdica, na segunda-feira, de qualificação para o Euro2022.

A seleção portuguesa, campeã da Europa, lidera o Grupo 8 de qualificação para o campeonato da Europa, com os mesmos oito pontos de Polónia e República Checa, que têm mais um jogo disputado, bastando um triunfo frente à Noruega para assegurar o apuramento.

“A Noruega tem dinâmicas interessantes. São organizados, sabem o que fazem. Claro que temos de admitir que não têm os níveis de competência de uma República Checa ou de uma Polónia. Até agora não o demonstraram. Têm algumas debilidades também. Houve momentos nos jogos com a Polónia em que a Noruega conseguiu aproximar-se, criar perigo e complicar. São esses momentos que nós não queremos permitir que aconteçam connosco e nós vamos ter de estar atentos às debilidades que sabemos que eles têm”, explicou Jorge Braz.

Nesse sentido, o selecionador luso prometeu “jogar sem facilitar, sem nunca perder a humildade”, reiterando o empenho no primeiro dos dois encontros frente ao conjunto norueguês, no Pavilhão Municipal da Torre da Marinha, no Seixal.

“Estar na seleção nacional significa que não pode haver limitações ao trabalho. Não pode haver desculpas, nem alibis. Aqui temos de estar sempre focados a 100% por cento, porque há a responsabilidade para com o país, com o futsal português. Se este é um espaço de excelência e de elite, temos de saber responder da mesma forma – com trabalho, empenhamento e muito mais ainda em cada oportunidade competitiva que temos. Vamos ter de estar dessa forma amanhã [na segunda-feira]”, vincou o técnico.

A seleção lusa cumpre hoje o último treino antes do embate de segunda-feira, marcado para as 18:30, voltando a defrontar a Noruega, no mesmo local, na quarta-feira, às 18:00.

Apenas três dos 18 convocados por Braz já somam internacionalizações, casos dos guarda-redes Bebé e Vítor Hugo e do capitão João Matos, num processo visto pelo selecionador como “normal e natural”.

“[Foram chamadas] algumas caras novas, alguns jovens. Não está por prémios de juventude. Estão cá pelo mérito deles e pelos níveis de competência que têm revelado nos clubes”, referiu Braz, reiterando que “é normal que os melhores cheguem” à seleção, escusando a trata-los por “miúdos”, mas sim “jogadores portugueses com elevados níveis de competência”.

O capitão João Matos atestou a boa integração dos novatos, ressalvando que a seleção está concentrada na ‘missão’ de assegurar a qualificação para o Euro2022, já no primeiro embate.

“Agora, só dependemos de nós, felizmente, e estamos a uma vitória em dois jogos [da qualificação], perante a equipa que não pontuou ainda no grupo. A perspetiva é que nos vamos apurar - com maior ou menor dificuldade vai depender de nós dentro de campo. Acredito que, ao nível a que temos treinado, se nos aplicarmos vamos fazer bons jogos e vamo-nos apurar logo no primeiro jogo”, frisou o fixo do Sporting.

Qualificam-se para a fase final da competição, a disputar nas cidades de Amesterdão e Groningen, nos Países Baixos, entre 16 de janeiro e 06 de fevereiro de 2022, os vencedores dos oito grupos e os seis melhores segundos classificados – os outros dois disputam a última vaga num ‘play-off’.

Além dos anfitriões Países Baixos, também Croácia, Rússia, Geórgia, Azerbaijão, Bósnia-Herzegovina, Cazaquistão, Espanha e Itália já asseguraram a presença na fase final.

Deixa o teu comentário