Jovem escritora caminhense dá cartas na literatura de fantasia

Regional

28 Junho 2021

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

Os 18 anos, a jovem escritora Catarina Oliveira, natural de Caminha, já dá cartas na literatura de fantasia. Escreveu o primeiro livro aos 14 anos e quer vingar no mundo literário.

É tendo como cenário Vilar de Mouros e a vila de Caminha, que Catarina Oliveira parte para um mundo fantástico de heróis com poderes especiais. Aos 18 anos, a caminhense é autora de três livros de uma saga de fantasia que já rendeu os leitores.

Foi aos 14 anos que a jovem autora Catarina Oliveira escreveu o seu primeiro livro, intitulado ‘Um Lobo Nunca Abandona a sua Alcateia’. Depois deste já se seguiram mais dois: ‘Heróis entre Estrelas’ e o último, ‘Aurorian’, que acabou de sair para as bancas no início deste mês de Junho. Mas a escritora já tem mais dois escritos, desta saga de fantasia com que um dia sonhou e que a faz escrever todos os dias novas aventuras.

“Trata-se de uma saga de fantasia, que é o meu género literário preferido, de onde, a partir de um portal, parto do mundo que conheço para um outro lado do mundo, onde a minha personagem principal, que se chama Catarina e que tem como poder especial a ‘super velocidade’, convive com outros heróis, também eles com os seus poderes especiais”, desvenda a autora em entrevista ao jornal ‘Correio do Minho’.

“Eu sempre adorei ler”, confessa a jovem escritora caminhense, recordando que o primeiro livro que leu foi precisamente a ‘Fada Oriana’, de Sophia de Mello Breyner Andresen. “Eu estava ainda a aprender a ler e demorei muito tempo a ler este primeiro livro, mas estava tão emocionada e feliz por estar a aprender a ler e pelas possibilidades que o livro me estava a dar ao imaginar esse mundo diferente do que eu conhecia, que nunca mais me esqueci”, disse.

Fã incondicional dos livros de J. K. Rowling, autora das aventuras de ‘Harry Potter’, Catarina Oliveira conta que leu o primeiro livro da saga, a ‘Pedra Filosofal’, aos dez anos e o livro marcou-a tanto que o leu nove vezes seguidas. “Não o conseguia parar de ler porque é absolutamente fantástico e ensinou-me muitas coisas novas, por exemplo, o valor da amizade, o poder do bem e do mal e como eles convivem em cada pessoa e também me desvendou o que significava a morte”.

Filha de pais professores de Físico-Química e de Inglês, a jovem autora caminhense diz que o grande sonho da sua vida seria vingar no mundo da literatura e até, quem sabe, ganhar um prémio. “Sei que é muito difícil viver da escrita de livros, mas sem dúvida que se pudesse escolher seria a escrita que escolheria para mim profissionalmente”, frisou, indicando que neste momento pensa também num futuro com estabilidade, daí que tenha ingressado na licenciatura em Bioquímica. “As ciências são também uma paixão na minha vida, tal como a música, pois adoro tocar piano e isto tudo faz parte de mim. Tenho várias facetas e gosto de muitas áreas diferentes”, disse.

Foi precisamente numas férias de Verão, quando estava aborrecida por não estar a fazer nada de produtivo, que, respondendo a um desafio proposto pela mãe, Catarina arregaçou mangas e começou a escrever o seu primeiro livro. Tinha 14 anos. Quatro anos depois já se encontra a escrever o quinto da mesma saga que a impulsiona diariamente a escrever novas aventuras.
“No fundo, os meus livros são sobre uma personagem que é a figura principal da história que através do seu poder especial, que é a super velocidade, ultrapassa os problemas que lhe vão surgindo na vida, sem medos, mas sempre a querer correr para a frente”, indica Catarina Oliveira, acrescentando que a sua própria casa, em Vilar de Mouros, bem como a Escola Básica e Secundária Sidónio Pais ou a Escola de Música Fernandes Fão em ?Caminha fazem parte das histórias que escreve.

“O meu maior objectivo é que as pessoas comprem os meus livros e que, sobretudo, percebam a minha história e sintam vontade de continuar a ler as minhas aventuras”, refere a autora caminhense.

Deixa o teu comentário