Braga, quarta-feira

Mapa turístico literário sobre Braga disponível a partir de quinta-feira

Regional

15 Julho 2020

Redação

A Fundação Bracara Augusta disponibiliza, a partir de quinta-feira, mapas literários digitais que resultam de um levantamento de todo os lugares referidos nas obras de dez autores que, desde o século XIX até à atualidade, escreveram sobre Braga.

A Fundação Bracara Augusta disponibiliza, a partir de quinta-feira, mapas literários digitais que resultam de um levantamento de todo os lugares referidos nas obras de dez autores que, desde o século XIX até à atualidade, escreveram sobre Braga.

“O projeto BragaLit consistiu num levantamento de todo os lugares referidos nas obras desses autores e, depois, na sua organização em modo de circuito ou de itinerário que foi transposto para este mapa digital”, disse à Lusa Micaela Ramon, do conselho de administração da fundação.

Micaela Ramon, que falava no âmbito da apresentação do projeto, que hoje decorreu em conferência de imprensa, explicou que o BragaLit “nasce da tentativa de conjugação da divulgação das publicações da Fundação Bracara Augusta, na coleção na coleção Braga Cidade Bimilenar, com a realização de um trabalho académico”.

“BragaLit – Mapa Literário da cidade de Braga” foi criado por Marc Rodrigues, aluno da Universidade do Minho, no contexto da sua dissertação de mestrado em Português Língua Não Materna - Português Língua Estrangeira e Língua Segunda.

“O projeto tem por objetivo fazer um levantamento em dez autores dessa coleção, que são ou bracarenses ou que escreveram sobre Braga, sobre as suas memórias e as suas perceções relativamente à cidade e aos seus habitantes”, referiu Micaela Ramon.

Ao mesmo tempo que cria um itinerário que permite ao visitante conhecer a cidade “pelos olhos e através das impressões destes autores” também permite “preservar o património quer material quer imaterial da cidade, na medida em que são referidos vários monumentos da cidade, ruas, estabelecimentos comerciais, mas também diversas tradições associadas a Braga, como as procissões e as cerimónias religiosas”.

A iniciativa apresenta dez mapas literários resultantes de dez obras de dez autores portugueses, o primeiro dos quais baseado na obra “Quando o claustro é sem ninguém”, da escritora e tradutora bracarense Maria Ondina Braga, será disponibilizado na quinta-feira.

Semanalmente, todas as quartas-feiras até 17 de setembro, a Fundação Bracara Augusta disponibilizará no seu sítio oficial um novo mapa, que, juntamente com o percurso, disponibilizará ainda excertos áudio das obras e uma breve biografia de cada escritor.

Maria Ondina Braga, José Manuel Mendes, Antero de Figueiredo, Ramalho Ortigão, Altino de Tojal, Alexandre Herculano, Manuel Teixeira-Gomes, Luís Forjaz Trigueiros, Camilo Castelo Branco e Luiz Pacheco, são os escritores contemplados pela iniciativa.

O projeto editorial “Braga Cidade Bimilenar” foi iniciado em 2000 com as Comemorações do Bimilenário e consiste na divulgação do património cultural, através da recolha de textos e imagens sobre Braga.

Desde então, têm vindo a ser publicados textos de autores com as mais diversas ligações a Braga, bem como textos e/ou desenhos e imagens inéditos sobre a cidade.

Os textos editados são da autoria de escritores consagrados que nasceram, visitaram ou viveram em Braga, nomeadamente aqueles cujos itinerários literários se disponibilizam agora aos turistas bracarenses ou forasteiros.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho